Até outubro devem ser produzidas 40 milhões de doses da ButanVac
Reprodução/Flickr
Até outubro devem ser produzidas 40 milhões de doses da ButanVac


Os resultados dos testes da vacina ButanVac devem sair em até 120 dias, prometeu o governador de São Paulo, João Doria, nesta segunda-feira (14). Até outubro, segundo Doria, devem ser produzidas 40 milhões de doses do imunizantes brasileiro, que estaria sendo visado por países da América Latina.

"Provavelmente, antes do final deste mês estaremos iniciando todo o programa de testagem da fase 1. A tendência é que ele vá rápido, é um programa para as fases 1, 2 e 3. A expectativa do professor Dimas Covas é de que, no limite de 120 dias, no máximo, já tenhamos os resultados", disse o governador.

Doria disse que, até o momento, o Ministério da Saúde não formalizou interesse na compra das vacinas do Instituto Butantan. "O ministro Marcelo Queiroga conversou com nosso presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, mas foi uma conversa informal. Não houve a solicitação formalizada pelo Ministério da Saúde com interesse na aquisição da vacina ButanVac", explicou Doria.

Você viu?

O governador pretende utilizar o imunizante na capital paulista e exportá-lo a outros municípios, estados e até países. "Temos seis países da América Latina que já solicitaram ao Butantan tão logo tenhamos a aprovação da vacina pela Anvisa. Eles têm interesse na vacina tendo em vista o novo processo vacinal do ano que vem", disse.

Ainda segundo Doria, as doses da vacina brasileria são bem mais baratas do que as importadas. "Custa R$ 10 cada vacina. Quatro, cinco, seis, sete vezes menos que as outras vacinas [contra a Covid-19] importadas, inclusive a própria CoronaVac. A vacina produzida pelo laboratório Sinovac, por exemplo, custa cerca de R$ 58 por dose".

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, na última quarta-feira (9), o início da pesquisa clínica da ButanVac. Os testes serão realizados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

O instituto já começou a produzir o imunizantes. Além de  7 milhões de doses da ButanVac prontas, outras 18 milhões serão produzidas até 31 e julho e mais 40 milhões até 30 de outubro, segundo informou Doria na ocasião.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários