Intervalo ideal da Pfizer é de oito semanas, segundo estudo da Oxford
Reprodução: ACidade ON
Intervalo ideal da Pfizer é de oito semanas, segundo estudo da Oxford


Segundo um novo estudo da Universidade de Oxford, o intervalo ideal entre as duas doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 é de oito semanas. No Brasil, o intervalo de 12 semanas vem sendo questionado com o avanço da variante Delta no país. Segundo os pesquisadores, um intervalo de quatro semanas também não é indicado, pois reduz os níveis gerais de anticorpos.

De acordo com Susanna Dunachie, a principal pesquisadora do estudo, à Reuters, o momento "ideal" para a segunda dose é a oitava semana. Atualmente, a bula registrada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) prioriza um intervalo entre doses de 21 dias.

Segundo a Pfizer, "as indicações sobre regimes de dosagem ficam a critério das autoridades de saúde e podem incluir recomendações seguindo os princípios locais de saúde pública".

No Reino Unido, o intervalo passou de 12 semanas para 8 semanas para conseguir oferecer a mais pessoas uma alta proteção contra a variante Delta. Segundo a publicação da Reuters, ainda não há um posicionamento do Ministério da Saúde sobre uma possível redução de intervalo por aqui.

O estudo confirmou que a eficácia após uma única dose não é o suficiente contra a variante Delta. "Os níveis de anticorpos neutralizantes contra a variante Delta foram fracamente induzidos após uma única dose e não foram mantidos durante o intervalo mais longo antes da segunda dose", informaram os autores do estudo.

"Mas após duas doses de vacina, os níveis de anticorpos neutralizantes eram duas vezes mais altos quando o intervalo de dosagem foi longo do que quando foi curto", finaliza.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários