Lawrence e Lydia Rodriquez com os filhos
Reprodução/GoFundMe
Lawrence e Lydia Rodriquez com os filhos


Lawrence e Lydia Rodriquez não quiseram tomar a vacina contra a Covid-19 sob o argumento de que não acreditavam na eficácia do imunizante. O casal do Texas, no entanto, foi infectado pelo novo coronavírus e acabou não resistindo à doença. Após mais de três semanas hospitalizado, Lawrence morreu no início de agosto. Já Lydia morreu na manhã da última quarta-feira (17) com complicações nos rins.

Leia: Mortes por Covid-19 de pessoas vacinadas são raras, diz especialista

Ao canal ABC13, a prima do casal, Dottie Jones, confirmou as mortes e que eles haviam recusado a vacina. Com os parentes internados em estado grave, Jones iniciou uma campanha no GoFundMe para ajudar os filhos a pagarem as despesas do hospital.

"Eles não acreditavam em vacinas. Você tenta falar com eles, e Lydia simplesmente não gosta disso, não confiava nisso, eu acho", contou ela Jones. Mas, assim que foi para a UTI, a prima de Jones disse que ela mudou de ideia e pediu para tomar o imunizante, mas não havia mais tempo. 

Segundo relato de Jones, o último pedido da mulher antes da intubação foi que os seus quatro filhos se vacinassem contra a Covid-19. "Antes de ser intubada, uma das últimas coisas que ela disse à irmã foi 'por favor, certifique-se de que meus filhos sejam vacinados'".

O casal deixou quatro filhos, os gêmeos Nathan e Ethan, de 18 anos; Adam, de 16, e Synphonia, de 11 anos. Para Jones, se Lawrence e Lydia tivessem tomado a vacina, nada disso estaria acontecendo. "Parte meu coração que as pessoas estão acreditando na desinformação.  A desinformação está matando pessoas, e precisamos divulgar a verdade", disse ela ao canal.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários