Covid-19: Uzbequistão está desenvolvendo vacina comestível a partir de tomates
Comitê do Umami/Divulgação
Covid-19: Uzbequistão está desenvolvendo vacina comestível a partir de tomates

Pesquisadores da Academia de Ciências do Uzbequistão, país que fica na região da Ásia Central, conseguiram desenvolver a primeira  vacina comestível contra a  Covid-19 a partir de Tomates. Os estudos ainda estão sendo feitos, mas prometem mudar a forma como a imunização ocorre atualmente.

A técnica utilizada pela equipe de desenvolvimento do imunizante foi a clonagem, conforme explicou um dos líderes da pesquisa ao canal 'Sevimli TV'. "Introduzimos o coronavírus na célula da planta por meio da clonagem (...) O coronavírus é administrado ao corpo do paciente assim que ele come o 'tomate vacinado', aí ele começa a produzir anticorpos", afirmou.

O início do processo de desenvolvimento do novo imunizante começou em janeiro deste ano, e os cientistas esperam colher o primeiro grupo de tomates anti-Covid em dois meses.

Por anos, cientistas examinaram a agricultura molecular de plantas como uma forma de produzir proteínas para uso farmacêutico, mas foi a pandemia de Covid-19 que deu a esse campo de pesquisa um impulso para a pesquisa e produção acelerada de vacinas.

No mesmo contexto de ensaios clínicos e pesquisas, alguns outros países, como Rússia e Canadá, estão trabalhando no desenvolvimento de vacinas comestíveis à base de laticínios ou aveia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários