Vacinação deverá impulsionar matrículas no ensino superior
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Vacinação deverá impulsionar matrículas no ensino superior

A campanha de vacinação de adolescentes contra a  Covid-19 continuará  suspensa na cidade no Rio nesta quinta-feira devido à demora na entrega de doses por parte do Ministério da Saúde. Os aportes recebidos nesta terça-feira pela Secretaria municipal de Saúde (SMS) são suficientes apenas para a aplicação da segunda dose das vacinas da AstraZeneca e Pfizer na semana que vem, segundo a pasta.

Nesta quinta-feira, os postos receberiam meninas de 15 anos. A campanha para adolescentes foi suspensa nesta quarta, quando estava prevista a vacinação de adolescentes de 16 anos ou mais.

"Considerando que a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou ter recebido do Ministério da Saúde (MS), na noite de ontem (31/08), apenas vacinas destinados à segunda dose (112.320 doses da Pfizer e 90.250 da AstraZeneca), a Secretaria Municipal de Saúde se vê obrigada a manter suspenso o calendário previsto para aplicação da primeira dose. Sendo assim, a vacinação dos adolescentes de 15 anos somente poderá acontecer quando o Ministério da Saúde enviar mais doses da Pfizer, único imunizante aprovado pela ANVISA para aplicação na população menor de 18 anos", informou a SMS por nota.

Você viu?

"A Secretaria Municipal de Saúde entende que a vacinação da população é prioritária e aguarda que o Ministério da Saúde acelere, com a urgência que a pandemia exige, a distribuição das 4 milhões de doses da Pfizer e das 10 milhões da CoronaVac que já foram entregues pelos produtores e encontram-se em estoque no MS", completa a pasta.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, a aplicação de terceira dose em idosos em institutos de longa permanência, que começou nesta quarta-feira, está mantida. Ele diz que 8 mil doses já estão reservadas para a força-tarefa, que vai até o dia 10. A distribuição da terceira dose dos demais idosos, contudo, está condicionada à entrega de vacinas por parte do Ministério da Saúde, reforça o secretário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários