18 vacinas estarão disponíveis para o população colocar a carteirinha em ordem
Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
18 vacinas estarão disponíveis para o população colocar a carteirinha em ordem

Diante da queda da cobertura vacinal, o Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira a Campanha Nacional de Multivacinação. Crianças e jovens de até 15 anos poderão atualizar a caderneta de imunização a partir desta sexta-feira. Ao todo, 18  vacinas estarão disponíveis para a população em todo o Brasil.

A ação durará até 29 de outubro em 45 mil postos de vacinação pelo país. Os objetivos são melhorar a taxa de cobertura das vacinas e reduzir a incidência de doenças preveníveis. Como O GLOBO mostrou, essa baixa adesão leva ao risco de surtos de doenças em todo o país.

Entre as vacinas disponíveis, estão BCG, hepatite B, pentavalente, pneumocócica, poliomielite, rotavírus, meningocócica C, febre amarela, tríplice viral, tetraviral, hepatite A, DTP, varicela e HPV. Já para os adolescentes estão incluídas os imunizantes contra HPV, dT, febre amarela, tríplice viral, hepatite B, dTpa e maningocócica ACWY.

"Tenho dois filhos, um de dois anos e outro de 5. Todos estão vacinados, independente da campanha. É um momento de destacar o momento da campanha de vacinação e a pandemia mostrou a força do Sistema Único de Saúde", disse o ministro da Saúde substituto, Rodrigo Cruz, que se emocionou ao falar dos filhos.

Leia Também

Com a cultura da vacinação, consolidada há décadas, o Brasil tem quatro doenças erradicadas: poliomielite, rubéola, Síndrome de Rubéola Congênita e tétano neonatal. Outras estão em tendência de queda: tétano acidental, difteria, meningites e diarreia causada por rotavírus. Já a coqueluche está controlada, segundo a pasta.

"Nós já fazemos campanhas de multivacinação há 20 anos no país. O momento é extremamente importante, visto que já estamos avançados na campanha de vacinação contra a Covid-19. O importante é aproveitarmos esse momento de lançamento e estimular a população (a ir aos postos)", afirmou o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Willames Freire.

Leia Também

Dados do DataSUS mostram que a cobertura da vacinação está caindo em todo o país desde 2015, o que ameaça a contaminação por doenças já erradicadas. É o caso da poliomielite. O sarampo chegou a ser eliminado do Brasil em 2016, mas o país voltou a registrar surto três anos depois por causa da baixa cobertura.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários