Registro da vacinação contra a Covid-19
Eduardo Lopes/ Fotos Públicas
Registro da vacinação contra a Covid-19

A prefeitura do Rio ainda aguarda a chegada de novas doses de vacina contra a Covid-19 para ampliar a aplicação do reforço em não idosos. Segundo o secretário municipal de Saúde Daniel Soranz, o Rio prevê começar a terceira dose em não idosos apenas em dezembro. O Ministério da Saúde ampliará a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 aos adultos de 18 a 59 anos.

Antes, a medida era autorizada para idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde. O intervalo, que antes era de seis meses para os três grupos, cairá para cinco para todo o público-alvo.

"É preciso escrever e dar esse comando para a rede. O anúncio sem pactuação para rede só gera confusão. As doses ainda não foram entregues para o Ministério e não teve antecipação de vacinas até agora. Para esse mês não é possível começar. Tentaremos antecipar para dezembro provavelmente, mas depende da chegada das vacinas", disse Soranz em entrevista ao Globo.

Somente no Rio, dados do sistema Tabnet de vacinação da prefeitura mostra que até o dia 16 de junho, há cinco meses, 173 mil adultos com até 59 anos receberam a segunda dose da vacina na cidade.

Rio teve queda na idade média dos internados após reforço em idosos

Leia Também

A poucos dias de terminar a imunização de reforço em todos os idosos, a cidade do Rio já sente na ponta os benefícios da terceira dose da vacina contra a Covid-19. Um levantamento realizado pelo estatístico Rafael Izbicki, professor da Universidade Federal de São Carlos, em São Paulo, a pedido do GLOBO, com dados da cidade do Rio, mostra os efeitos positivos da terceira dose nos casos de internação de Covid-19 na cidade.

Os números mostram que, nas últimas semanas, a idade média dos internados caiu de 69 para 59 anos. Outro sinal da influência da dose extra também já reflete nos números: a cada semana, diminui a proporção de novas hospitalizações por coronavírus de quem tem mais de 75 anos em relação aos mais novos.

O levantamento feito pelo matemático, usando dados de hospitalizações divulgados semanalmente pelo Ministério da Saúde na plataforma Opendatasus, que reúne as informações de pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave. Para realizar a projeção, Izbicki fez um recorte para as pessoas com mais de 75 anos por esse grupo já estar há mais de um mês recebendo a dose de reforço.

A terceira dose contra a Covid-19 começou a ser aplicada nos idosos da capital no dia 13 de setembro, com todos aqueles que tinham 95 anos ou mais. Da mesma forma que o início da campanha de vacinação, o calendário foi avançando escalonadamente até os 60 anos, previsto para os próximos dias.

Do início da pandemia até o começo da vacinação em janeiro de 2021, a idade média dos internados por coronavírus na capital variava entre 60 e 65 anos. Após o início da imunização, gradualmente o índice foi caindo, chegando ao menor patamar em junho. Foi neste mês, inclusive, que aumentaram a percepção dos médicos da linha de frente que havia mudado o perfil dos internados: os mais jovens ocupavam os leitos onde antes só idosos ficavam. O mês de junho terminou com o calendário vacinando com a primeira dose cariocas de 44 anos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários