OMS divulga comunicado sobre variante ômicron
Reprodução/FreePic
OMS divulga comunicado sobre variante ômicron

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou neste domingo (28) que evidências preliminares sugerem que pode haver um risco maior de reinfecção de Covid-19 com a chegada da variante ômicron do novo coronavírus. Isso significa que a cepa poderia infectar mais facilmente pessoas que já tiveram a doença, quando em comparação com outras variantes.

"As evidências preliminares sugerem que pode haver um risco maior de reinfecção com a ômicron, em comparação com outras variantes de preocupação, mas a informação é limitada", disse o órgão em comunicado.

Além disso, a OMS acrescentou que ainda não se sabe se a variante ômicron do novo coronavírus é mais transmissível ou se causa quadros mais graves da Covid-19 quando em comparação com outras.

"Dados preliminares sugerem que há taxas crescentes de hospitalização na África do Sul, mas isso pode ser devido ao aumento do número geral de pessoas que estão se infectando, ao invés de resultado de uma infecção específica com ômicron", declarou a OMS.

"Atualmente não há informações que sugiram que os sintomas associados ao Ômicron sejam diferentes daqueles de outras variantes", continuou. "As infecções iniciais relatadas ocorreram em estudos universitários – indivíduos mais jovens que tendem a ter doença mais branda – mas compreender o nível de gravidade da variante Ômicron levará de dias a várias semanas".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários