UTI do hospital Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte de São Paulo
Gustavo Basso/Creative Commons
UTI do hospital Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte de São Paulo

Com os 187.722 novos casos de covi-19 registrados no Brasil nas últimas 24h, o país atingiu a maior média móvel de infecções desde o início da pandemia: 157.060. A conta leva é feita com base nos registros dos últimos sete dias.

O total de casos confirmados no país até o momento é de 24.311.317. A variante Ômicron, que já é responsável por quase todos os casos positivos em todo o país, é mais transmissível, e apontada como a principal causa no boom de contágios.

Segundo o Imperial College, a taxa de transmissão no Brasil está em 1,78, a mais alta desde pelo menos julho de 2020. Isso significa que cada 100 pessoas infectadas transmitem o vírus para outras 178. Pela margem de erro, ela pode ser maior - até 1,94 - ou menor - 1,61, onde 100 pessoas infectariam 194 ou 161 pessoas, respectivamente.

O número de mortes desde ontem ficou em 487, totalizando 623.843. A média móvel de óbitos está em 332.

O Espírito Santo afirmou estar com problemas técnicos, portanto, a soma de hoje considera os dados reportados ontem (24).

Em todo mundo, 357.270.387 pessoas já se infectaram com a covid-19, e 5.611.522 morreram em decorrência da doença.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários