O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

A Associação Médica Brasileira (AMB) enviou uma carta aberta ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nesta terça-feira, solicitando a urgente aprovação das Diretrizes Brasileiras para o Tratamento Ambulatorial e Hospitalar da Covid-19. Trata-se de documento elaborado por especialistas nomeados pelo próprio Ministério da Saúde, aprovado pela Conitec, mas vetado pelo secretário Hélio Angotti Neto.

Carlos Roberto Ribeiro Carvalho, médico designado pelo próprio Ministro da Saúde para coordenar a elaboração dessas diretrizes impetrou, no dia 4 de fevereiro, recurso administrativo refutando de forma técnica e científica os argumentos equivocados utilizados pela portaria assinada por Angotti para a não aprovação das diretrizes.

Mesmo assim, o veto foi mantido pelo secretário, o que significa que a decisão final deva ser tomada pelo ministro da Saúde.

"[...] A Associação Médica Brasileira solicita que Vossa Excelência considere todos os aspectos técnicos e científicos contidos nos documentos citados, e aprove sem mais demora as 'Diretrizes Brasileiras para o Tratamento Ambulatorial e Hospitalar da Covid-19', documentos que têm o apoio de todas as sociedades médicas envolvidas com o tema, e que são extremamente necessárias para orientar corretamente os profissionais de saúde que estão na linha de frente nessa Pandemia", diz a carta.

O documento em questão orienta o sistema de saúde, com base nas melhores evidências científicas disponíveis, sobre como atender e tratar pacientes infectados pelo novo coronavírus, em nível ambulatorial e hospitalar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários