Redução de peso por bariátrica corta risco de morte por câncer em 48%
shutterstock
Redução de peso por bariátrica corta risco de morte por câncer em 48%

A perda de peso proporcionada pela cirurgia bariátrica reduziu em 32% o risco de surgimento de câncer em pessoas com obesidade. A conclusão é de um estudo recém-publicado na revista científica JAMA, apresentado ontem no encontro anual da Sociedade Americana de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. O trabalho, que analisou dados de mais de 30 mil participantes durante dez anos, constatou ainda que a probabilidade de uma morte relacionada ao diagnóstico diminuiu 48% para o grupo que passou pela operação.

"De acordo com a Sociedade Americana de Câncer, a obesidade perde apenas para o tabaco como uma causa evitável de câncer nos Estados Unidos. Esse estudo fornece a melhor evidência possível sobre o valor da perda de peso intencional para reduzir o risco de câncer e mortalidade", disse o autor sênior do estudo, Steven Nissen, em comunicado.

Conduzido por pesquisadores da Cleveland Clinic e das Universidades dos Estados de Ohio e Louisiana, nos Estados Unidos, o trabalho envolveu o acompanhamento de 30.318 participantes, de em média 46 anos, dos quais 5.053 passaram por uma cirurgia bariátrica.

Os pacientes que tiveram a operação perderam em média 27,5 kg, enquanto a redução foi de cerca de 2,7 kg no grupo de controle – uma diferença de 19,2% na variação do peso. Antes do período, o índice de massa corporal (IMC) dos participantes era de aproximadamente 45, o que, para uma altura de 1,75 m, quer dizer cerca de 140 kg.

Após os 10 anos, 2,9% dos pacientes do primeiro grupo e 4,9% do segundo desenvolveram algum tipo de câncer ligado à obesidade. Em comparação, foi uma incidência 32% menor naqueles que foram operados, explicam os pesquisadores. Quando analisados individualmente, o câncer com maior redução foi o do endométrio, com um risco 53% menor para as mulheres que passaram pela cirurgia bariátrica.

"Sabíamos que a cirurgia reduziria o risco de câncer com base em estudos anteriores, mas o que nos surpreendeu foi a extensão dessa redução em certos tipos. Os benefícios por meio da cirurgia para perda de peso não podem ser ignorados e devem ser considerados para pacientes com obesidade e alto risco de câncer", defendeu o co-autor do estudo Jared Miller, cirurgião geral e bariátrico do Sistema de Saúde Gundersen Lutheran, em comunicado.

De acordo com a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer, existem 13 tumores associados à obesidade. Além do câncer de endométrio, o de mama na pós-menopausa e os de cólon, fígado, pâncreas, ovário e tireoide também são incluídos nessa lista.

Já em relação ao óbito decorrente do diagnóstico, ao fim do período os registros representaram 0,8% do grupo que passou pela cirurgia bariátrica e 1,4% dos demais – um risco 48% reduzido para aqueles que perderam mais peso. Os responsáveis pelo estudo destacam a importância do procedimento para os casos indicados, uma vez que, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, aproximadamente 42% dos adultos no país são obesos.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários