Câncer no pâncreas e na boca
Divulgação
Câncer no pâncreas e na boca

A maioria de nós escova e usa fio dental duas a três vezes por dia para evitar cáries, mas há razões mais importantes para manter a boca limpa.

Estudos mostram ligações entre problemas de saúde bucal e doenças como:

  • Doenças cardíacas
  • Parto prematuro
  • Derrame
  • Diabetes

Recentemente pesquisadores associaram duas bactérias dentais específicas, já conhecidas por estarem presentes na doença periodontal, e há um risco aumentado de câncer de pâncreas. Além disso, indivíduos com ambas as bactérias presentes na boca têm o dobro do risco de desenvolver a doença.

Pesquisadores da Universidade de Nova York coletaram amostras orais de pacientes durante 10 anos. Durante o período, metade dos pacientes desenvolveram câncer no pancreas. Uma correlação interessante foi descoberta nos diz Dr. Bruno Puglisi:

Aqueles pacientes com a bactéria Porphyromonas gingivalis, comum encontrado em pessoas com doença periodontal (também ligada à artrite reumatóide, infecções no trato gastrointestinal superior e trato respiratório, bem como no cólon) tiveram um risco 59% maior para câncer de pâncreas.

Os resultados do estudo diz que é incerto se a bactéria realmente causa câncer de pâncreas, mas não conseguiram identificar por que a bactéria desempenhou um papel no aumento do risco da doença.

Nem tudo são más notícias. A boa notícia é que, munidos dessas informações, dentistas e médicos podem ter uma maneira fácil de rastrear o câncer de pâncreas, que é extremamente importante em uma doença que mostra poucos sintomas até que o câncer esteja muito avançado para responder ao tratamento.

A disponibilidade de um teste de rastreamento eficaz para o câncer de pâncreas tem sido procurada desesperadamente por muitos anos. Identificar a presença dessas bactérias orais pode nos fornecer essa triagem.

O estudo oferece a primeira evidência direta de que mudanças específicas na mistura microbiana da boca, representam um provável fator de risco para câncer de pâncreas junto com a idade avançada, sexo masculino, tabagismo, raça, e história familiar da doença. Essas alterações bacterianas na boca podem nos mostrar quem está em maior risco de desenvolver câncer de pâncreas.

Uma investigação mais aprofundada precisa ser realizada, e se for confirmada, há uma razão para que um teste de saliva para detectar câncer de pâncreas possa ser feito pelo seu dentista.

Esta seria uma mudança extremamente importante no diagnóstico que poderia salvar milhares de vidas por ano.

A saúde bucal é bastante simples de se manter.



Se você estiver preocupado com sua saúde bucal, como o desenvolvimento de feridas bucais, sangramento ao escovar ou passar fio dental, etc., marque uma consulta adicional, não espere pelo próximo check-up de 6 meses.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários