Rússia
Fundo de Investimento Direto da Rússia/Reuters
Anvisa reforça que estudos ainda não foram autorizados no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aifrmou, nesta sexta-feira (30), que ainda não recebeu nenhum pedido de registro para a vacina Sputnik V. O Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF), diz já ter feito a pré-submissão dos documentos , o que não é considerado um pedido formal.

"Agência Nacional de Vigilância Sanitária não recebeu, até o momento, nenhum pedido de registro referente à vacina Sputnik V. Também não há nenhum pedido formal que trate da autorização de pesquisa clínica no Brasil para a vacina em questão", diz uma nota no site da Anvisa atualizada nesta sexta.

"Os documentos foram enviados pelo laboratório União Química com um pedido de avaliação prévia da documentação pela Anvisa, antes que o laboratório faça o pedido formal com todos os requisitos necessários", reforçou a agência, ainda na quinta-feira. Na alteração de hoje, a Anvisa incluiu que "na prática, a pesquisa não está autorizada e esse pedido ainda não foi feito pelo laboratório".

Caso aprovada para testes no Brasil, a vacina deve contar com voluntários dos estados do Paraná e da Paraíba, cujos governos já demonstraram interesses na participação da fase três dos testes clínicos.

A Sputnik V, produzida pelo Centro Nacional de Pesquisas em Epidemiologia e Microbiologia Nikolay Gamaleya, recebeu um certificado de registro do Ministério da Saúde da Rússia, tornando-se a primeira vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) registrada no mundo.

    Veja Também

      Mostrar mais