Pandemia ignorada: no Rio, como já acontece há meses, dia quente é sinônimo de aglomeração e praias lotadas
Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil
Pandemia ignorada: no Rio, como já acontece há meses, dia quente é sinônimo de aglomeração e praias lotadas

A taxa de internação na rede municipal do Rio de pacientes com Covid-19 tem apresentado alta nos últimos dias. No último domingo, dia 15, a lotação registrada foi de 97%, a maior já registrada.

A média móvel no Estado do Rio também subiu, chegando a 49% na terça-feira, dia 17. Após um período de 50 dias oscilando entre estabilidade e queda, os números indicam o aumento no contágio pelo novo coronavírus.

O assessor especial de Atenção Primária à Saúde, Leonardo Graever, assinou um documento na terça-feira, dia 17, a fim de orientar os profissionais das Clínicas da Família quanto à alta de casos, segundo o "RJ TV", da TV Globo.

Entre as recomendações feitas pela Secretaria municipal de Saúde estão a de retomar espaços dedicados ao atendimento de problemas respiratórios; reforçar o número de insumos e de equipamentos de proteção individual; oferecer teleatendimento para pacientes que precisam ficar em casa.

Nesta quarta-feira, no boletim diário publicado pela Secretaria de Saúde, a rede municipal tem 532 pacientes internados - dos quais 243 nos 251 leitos de UTI. O município tem reservado para o tratamento de Covid-19 881 leitos.

Já a rede SUS – que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais – tem ocupação de 80% de leitos da UTI e de 76% das vagas de enfermaria para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus. A rede SUS na capital tem 876 pessoas internadas em leitos especializados, sendo 412 em UTI.

    Veja Também

      Mostrar mais