Vacina
Reprodução/Governo de SP
Governador João Doria participa de testes da Coronavac

O governo de São Paulo anunciou, nesta segunda-feira (7), detalhes sobre o plano de vacinação contra a Covid-19 no estado. Segundo o governador João Doria (PSDB), a campanha iniciará no dia 25 de janeiro  de 2021, ainda que o Ministério da Saúde preveja uma ação nacional apenas em março. 

"Nesta primeira fase de vacinação, 18 milhões de doses serão dedicadas aos profissionais de saúde, idosos, e às comunidades quilombolas e indígenas", afirmou o governador em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. Ainda segundo o governador, esses grupos concentram 77% dos óbitos pela Covid-19 no estado. 

De acordo com o plano, a primeira dose será aplicada no dia 25 de janeiro nos profissionais de saúde, quilombolas e indígenas. Já os idosos com mais de 75 anos devem recebê-la no dia 8 de janeiro. Um período de 21 dias é necessário entre a primeira e a segunda dose da vacina CoronaVac, que será produzida pelo Instituto Butantan no Brasil. 

A primeira fase da vacinação contra a Covid-19 em São Paulo deve ocorrer até o dia 28 de março, com escalas por faixa etária dos grupos. Os idosos com idades entre 70 e 74 anos, por exemplo, devem receber a primeira dose no dia 15 de fevereiro. Já o grupo com idades entre 65 e 69 anos, no dia 22 de fevereiro. A primeira dose para pessoas com idades entre 60 e 64 anos será distribuída no dia 1 de março.

Para viabilizar a campanha, os postos de vacinação foram ampliados para até 10 mil postos. "Para isso serão implantadas estratégias especiais de vacinação, incluindo escolas aos finais de semana, terminais de ônibus, farmácias credenciadas, quartéis e um sistema de drive thru", explicou o governador.

Ao anunciar o plano, Doria ainda reforçou que "não está virando as costas para o plano de vacinação nacional", mas que "na luta para a vida não há espaço para o negacionismo", disse o governador. O imunizante, porém, ainda não possui autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária  (Anvisa) para distribuição.

Cronograma de vacinação:

Dose 1:
25/01 Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas
08/02 Pessoas com 75 anos ou mais
15/02 Pessoas com 70 a 74 anos
22/02 Pessoas com 65 a 69 anos
01/03 Pessoas com 60 a 64 anos

Dose 2:
15/02 Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas
01/03 Pessoas com 75 anos ou mais
08/03 Pessoas com 70 a 74 anos
15/03 Pessoas com 65 a 69 anos
22/03 Pessoas com 60 a 64 anos


Turismo de vacina

Diante da promessa de uma campanha de vacinação que pode ocorrer em São Paulo antes do restante do Brasil, uma das preocupações do governo - segundo o secretário municipal de saúde em São Paulo, Edson Aparecido - é o "turismo de vacina", ou seja: pessoas de outras cidades e estados que buscam o serviço antes da distribuição do Ministério da Saúde. 

Em entrevista anterior à Globo News, Aparecido afirmou que a prioridade para receber a vacina na capital serão os paulistanos e, para garanti-la, é possível que o sistema adicone alguns mecanismos de segurança. Apesar da declaração do secretário, o governador João Doria afirmou, em entrevista coletiva, que "qualquer brasileiros poderá ser vacinado em solo paulista. Nós não pediremos comprovante de residência ".

Além disso, o governo anunciou nesta segunda-feira que 4 milhões de doses serão disponibilizadas para outros estados que solicitarem a vacina CoronaVac. Até agora, 8 estados já enviaram pedidos pela vacina, que deve ser destinada aos profissionais de saúde que trabalham na linha de frente da pandemia. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários