Sinopharm Vacina
Reprodução
Em entrevista, um porta-voz da empresa deu poucos detalhes sobre os resultados divulgados

Nesta quarta-feira (30), a batalha pela busca por vacinas contra a Covid-19 deu mais um passo rumo ao sucesso. Desta vez, as informações divulgadas tratam sobre o imunizante desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinopharm , que teve eficácia de 79,3% em testes preliminares da fase 3.

Segundo informações da agência de notícias Reuters, a Sinopharm já solicitou a autorização para uso emergencial da vacina no país junto às autoridades da China, mesmo que os dados divulgados sobre a eficácia do imunizante tenham sido  menores do que os anunciados pelos Emirados Árabes no último dia 9, quando testes apontaram uma taxa de 86% de sucesso.

Ainda de acordo com a publicação, a empresa não explicou quais os motivos para tal diferença e disse apenas que resultados detalhados seriam divulgados depois, mas sem definir um prazo. O porta-voz da Sinopharm também não informou se houve efeitos colaterais.

Diferentemente da CoronaVac, produzida pela SinoVac em parceria com o Instituto Butantan e que já foi alvo de diversas polêmicas envolvendo o governador de São Paulo, João Doria, e o presidente Jair Bolsonaro , a vacina da Sinopharm não realiza testes no Brasil e não tem acordos de venda no país.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários