Vacina
Reprodução: iG Minas Gerais
Empresa diz que vacina é eficaz contra variantes britânica e sul-africana

(ANSA) - Durante um evento online nesta quarta-feira (13), a farmacêutica Pfizer confirmou que irá aumentar a produção da vacina anti-Covid desenvolvida com a BioNTech e que a BNT162b é eficaz contra as variantes britânica e sul-africana do coronavírus Sars-CoV-2.

"Segundo os primeiros estudos, há uma elevada eficácia da vacina Pfizer/BioNTech contra as duas variantes", afirmou o CEO da empresa, Albert Bourla. As mutações suscitaram muita preocupação no mundo por conta de uma maior facilidade de propagação do coronavírus Sars-CoV-2.

Sobre o aumento da produção, que também havia sido anunciado pelo laboratório alemão nesta terça-feira (12), Bourla afirmou que "neste momento, o nosso objetivo principal em todo o mundo é melhorar a nossa capacidade de produção" dos imunizantes.

"Esperamos fornecer neste ano dois bilhões de doses e os esforços não serão parados", acrescentou. A previsão inicial, anunciada em 2020 ainda antes da finalização dos testes, era de produzir 1,3 bilhão de doses durante 2021.

Segundo havia explicado a BioNTech, esse aumento da produção vem após com base no "novo padrão" que permite que cada frasco resulte em seis doses - e não nas cinco estipuladas inicialmente. Além disso, haverá a inauguração em fevereiro de uma nova planta em Marburg, na Alemanha, com capacidade de produção anual de até 750 milhões de doses.

A vacina da Pfizer/BioNTech foi a primeira a ser liberada para uso emergencial em diversos países ocidentais, como no Reino Unido, Estados Unidos, Canadá e nas nações da União Europeia, e também em Israel. Também alguns países sul-americanos já aprovaram o imunizantes BNT 162b. (ANSA).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários