CoronaVac
Divulgação/Instituto Butantan
Tire dúvidas sobre o início da vacinação em São Paulo

SÃO PAULO - A vacinação contra a Covid-19 na cidade de São Paulo teve inicio na tarde desta terça-feira, em um hospital municipal de Pirituba, zona oeste da capital. A técnica de enfermagem Helen Cristina de Camargo Seixas Pacheco, de 46 anos, foi a primeira profissional de saúde da prefeitura a ser vacinada com a CoronaVac, vacina feita pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

As primeiras 6 milhões de doses do imunizante estão autorizadas pela Anvisa para uso emergencial em todo o território brasileiro. Desde então, a quantidade disponível está sendo distribuída para estados e municípios.

Entenda como está a vacinação na cidade de São Paulo:

Quantas doses foram distribuídas para a cidade de São Paulo?


Para as primeiras imunizações, a serem realizadas nesta semana, o governo de São Paulo informou que distribuiu 305.820 doses da CoronaVac a 28 municípios paulistas, especificamente para Grande São Paulo, Sorocaba e Vale do Paraíba. Durante toda a primeira fase, a expectativa do governo é distribuir 1.349.200 doses. As primeiras remessas seguem para 26 prefeituras de cidades com mais de 30 mil habitantes. A cidade de São Paulo recebeu o maior número de doses do estado. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, foram recebidas 215 mil doses da CoronaVac até o momento.

Quem será vacinado com o primeiro lote recebido?


Neste momento, serão priorizados os profissionais de saúde que atuam na linha de frente da Covid-19: enfermarias e UTIs de hospitais públicos e privados, prontos-socorros, UPAs, AMAs e UBSs, Além disso, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, também serão vacinados neste momento os profissionais que trabalham no SAMU. A primeira profissional de saúde imunizada pela prefeitura foi a técnica de enfermagem Helen Cristina de Camargo Seixas Pacheco, de 46 anos, que trabalha no Hospital Municipal Dr. José Soares Hungria, em Pirituba, na Zona Norte da Capital.

Além dos profissionais de saúde, quais outros grupos serão vacinados nas próximas semanas?

Os cerca de 15 mil idosos residentes em Instituições de Longa Permanência e indígenas aldeados também estão incluídos na lista de prioridades.

Como será realizada a vacinação dos primeiros grupos?

As doses da primeira remessa da CoronaVac serão encaminhadas diretamente aos serviços de saúde, que farão a distribuição às unidades de vacinação. No caso dos idosos acamados, os agentes da Secretaria Municipal de Saúde irão até as unidades de internação.

Você viu?

Haverá vacina ao público geral em São Paulo neste primeiro momento?

Não. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a quantidade de doses recebida neste primeiro momento impede a vacinação nas Unidades Básicas de Saúde ou em qualquer outro posto de vacinação neste primeiro momento. O público geral deve aguardar a chegada de novas doses e a divulgação do novo calendário.

Quando chegarão novas doses?

A expectativa é que a capital paulista receba outras 215 mil doses em até 15 dias para uma segunda imunização dos profissionais de saúde, idosos e indígenas vacinados nesta semana. Ao todo, serão imunizadas 430 mil pessoas nesta primeira fase.

Tem previsão para a imunização do público geral?

Ainda não. A Secretaria Municipal de Saúde explicou que, em um segundo momento, ainda sem data definida, serão incluídos na campanha, de forma escalonada, os demais profissionais de saúde - no caso os que não atendem Covid-19 diretamente - e outros grupos prioritários, como os idosos acima de 75 anos.

Onde será a vacinação?

Por enquanto, a vacinação está ocorrendo nos locais em que estão alocados os grupos prioritários. Dentro dos próprios hospitais, aldeias indígenas e instituições para idosos. Em um segundo momento, ainda sem data definida, serão montados cerca de 3 mil postos de vacinação, incluindo as 468 Unidades Básicas de Saúde do município. Praças, shoppings, estações de metrô e terminais de ônibus servirão como postos para vacinação. Serão priorizados locais com grande movimentação de pessoas, ressaltou a prefeitura.

É preciso cadastro para se vacinar?

No final de semana, o governo de São Paulo lançou o site "Vacina Já" para reunir dados de quem vai ser imunizado contra a Covid-19 no estado. O site foi criado para agilizar o atendimento nos locais de vacinação. Apesar de não ser um agendamento, ele agiliza o processo de vacinação, garantindo atendimento mais rápido. Embora esteja aberto a todos, o site é focado em receber informações dos grupos prioritários no momento: profissionais de saúde, indígenas e idosos institucionalizados. Mesmo se cadastrando, o público comum precisa aguardar o novo calendário de vacinação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários