Filas aumentam no aguardo por leito para tratamento da Covid-19 no Amazonas
Getty Images
Filas aumentam no aguardo por leito para tratamento da Covid-19 no Amazonas

Enquanto o Amazonas enfrenta um colapso no sistema de Saúde, com transferência de pacientes para outros estados e grandes filas de espera, os Hospitais das Forças Armadas do estado segue com mais da metade dos leitos para Covid-19 disponíveis. As unidades são reservadas para militares e familiares.

Até a quarta-feira (10), apenas 84 dos 116 leitos disponíveis nos dois hospitais das Forças Armadas de Manaus estavam ocupados. No mesmo dia, 278 pacientes aguardavam na fila para tratamento contra a Covid-19 no estado, sendo 217 apenas em Manaus.

Em nota enviada ao Uol, o Ministério da Defesa afirmou que os leitos constituem reserva técnica para garantir a saúde do pessoal militar e, assim, assegurar a possibilidade de seu restabelecimento para o pleno e pronto emprego das Forças Armadas". Ainda segundo a pasta, "ao contrário do SUS, o sistema de saúde das Forças Armadas não é universal e tampouco dispensa para o seu custeio as contribuições mensais e as indenizações de seus beneficiários".

A Secretaria de Saúde do Amazonas afirmou que, atéo momento, não fez qualquer pedido oficial para usar leitos dos hosptais militares. "O Amazonas trabalha em duas frentes para ampliar o atendimento a pacientes de covid-19: transferências para tratamento em outros estados e abertura de novos leitos: 100 de UTI e 250 de leitos clínicos", afirmou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários