Marcelo Queiroga, cardiologista indicado para assumir o Ministério da Saúde
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Marcelo Queiroga, cardiologista indicado para assumir o Ministério da Saúde

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou hoje (17) que a pasta vai unificar os protocolos médicos no atendimento dos casos de Covid-19 em todo o país. "Vamos trabalhar para conseguir homogeneizar a conduta assistencial no país como um todo", disse Queiroga durante evento no Rio de Janeiro ao lado de Eduardo Pazuello.

"Por exemplo, as nossas UTIs, temos que ter protocolos uniformizados de assistência, nós temos que transferir a expertise dos grandes centros para as unidades de terapia intensiva que estão nas cidades mais distantes, dos estados menores (...) É preciso garantir um atendimento mais pronto ao paciente, mais rápido, para evitar que a doença progrida", acrescentou o novo ministro.

Sobre a demora para a formalização de um protocolo, Queiroga explicou que o problema é a falta de conhecimento sobre a Covid-19. "Estamos diante de uma doença nova. Quando começou esses casos, nós não tínhamos esse conhecimento", justificou o novo ministro.

Na segunda-feira (15), a médica Ludhmilla Hajjar, que recusou o cargo de ministra da Saúde, defendeu que é função do Ministério da Saúde orientar equipes médicas sobre a melhor forma de atender pacientes com Covid-19.  


"O Brasil precisa de protocolos, e isso é pra ontem. (...) Nós estamos discutindo azitromicina, ivermectina, cloroquina. É coisa do passado. A ciência já deu essa resposta. Cadê um protocolo de tratamento? (...) Perdeu-se muito tempo na discussão de medicamentos que não funcionam", afirmou Ludhmilla Hajjar, em entrevista à Globo News.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários