Ainda de acordo com os dados do levantamento, 70% dos brasileiros consideram que a situação da saúde no país piorou nos últimos três meses
Foto: Alex Pazuello/Semcom
Ainda de acordo com os dados do levantamento, 70% dos brasileiros consideram que a situação da saúde no país piorou nos últimos três meses

No Brasil, 86% da população conhece pelo menos uma pessoa que morreu em consequência da Covid-19, podendo ser um membro da família (17%), amigo (22%), ou uma pessoa não tão próxima (63%). É o que mostrou uma pesquisa recente realizada pelo Centro de Pesquisa em Comunicação Política e Saúde Pública (CPS) da Universidade de Brasília (UnB) e pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD).

Ainda de acordo com os dados do levantamento, 70% dos brasileiros consideram que a situação da saúde no país piorou nos últimos três meses, e aumentou de 38% para 52% o percentual de entrevistados que se dizem muito preocupados com a doença entre dezembro e abril. Já 74% acreditam que ficará pior ou igual até julho.

Apenas 12% dos entrevistados dizem que a própria saúde piorou nos últimos três meses, enquanto 67% a avaliam como igual e 19% como melhor. Outro número que chama atenção no levantamento é o percentual de brasileiros que dizem ter tomado remédios sem eficácia comprovada contra a doença: 27% fizeram uso de pelo menos um deles.

Já no grupo dos mais críticos, 57% mantêm a saúde na conta do presidente e 37% na do seu ministro da Saúde. No geral, 41% veem o titular da pasta como o maior responsável, tecnicamente empatado com os 39% que acham que esse problema é do chefe do Executivo, contra apenas 15% que acreditam que governadores são os que têm maior poder.

A pesquisa Saúde Brasil foi realizada on-line com uma amostra de 1.232 pessoas de todos os estados representativa da população brasileira, entre 31 de março e 16 de abril. A pesquisa tem margem de erro de 3 pontos percentuais e intervalo de confiança de 95%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários