Christie Morreale, ministra da Saúde da região de Valônia
Reprodução
Christie Morreale, ministra da Saúde da região de Valônia

A Justiça belga está investigando um médico suspeito de emitir 2 mil certificadps falsos de vacinação contra Covid-19 no que é considerada a fraude "mais grave" durante a gestão da pandemia no país, segundo a ministra da Saúde da região de Valônia, Christie Morreale.

O médico teria oferecido seus serviços a milhares de pessoas com o intuito de fornecer um certificado capaz de evitar as restrições em vigor na Bélgica em função da pandemia.

"É uma fraude de vacinação por um médico que codificou um número astronômico de pessoas que ele teria vacinado", disse Morreale, de acordo com a AFP.

Caso Rittenhouse:Pai e filha com fuzil em ato contra absolvição de jovem branco nos EUA foram 'proteger manifestantes'

Leia Também

Segundo a ministra, é impossível que um único médico tenha vacinado um número tão alto de pessoas em uma série de lugares diferentes. O caso foi encaminhado aos tribunais e à associação médica do país.

O médico deverá ser processado por falsificação e teve acesso negado à base de dados que centraliza a vacina. Os beneficiados com a irregularidade também poderão responder judicialmente.

Morreale informou ainda que os certificados emitidos pelo médico foram suspensos. As pessoas que receberam o documento falso serão contatadas para que sejam imunizadas corretamente.

A partir de novembro, a Bélgica começou a exigir a apresentação do certificado provando que a imunização completa ou que testou negativo recentemente, para acessar bares, restaurantes, academias e outros estabelecimentos no país.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários