Tamanho do texto

Governo ainda quer imunizar 4,1 milhões de crianças entre 1 e 4 anos e nove meses; vacina deve ser tomara mesmo por quem já recebeu as doses

Governo pretende atingir 95% do público-alvo da campanha de vacinação contra sarampo e pólio, que é de 11,2 milhões de crianças
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 18.8.18
Governo pretende atingir 95% do público-alvo da campanha de vacinação contra sarampo e pólio, que é de 11,2 milhões de crianças

O Ministério da Saúde precisa imunizar contra sarampo e poliomielite 4,1 milhões de crianças em todo país até esta sexta-feira (31), que é quando acaba a Campanha Nacional de Vacinação contra as duas doenças.

Leia também: Casos de sarampo na região das Américas chegam a 5 mil, de acordo com Opas

Neste ano, todas as crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos devem receber as doses contra sarampo e pólio, independentemente de sua situação vacinal.

De acordo com a pasta, até a última sexta-feira (24), 62% do público-alvo havia sido vacinado. Foram aplicadas, ao todo, mais de 14 milhões de doses – cerca de 7 milhões de cada. A meta do governo federal é vacinar pelo menos 95% das 11,2 milhões de crianças na faixa etária estabelecida e criar uma barreira sanitária de proteção da população.

Este ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, o que significa que mesmo as crianças que já estão com esquema vacinal completo devem ser levadas aos postos de saúde para receber mais um reforço.

No caso da pólio, as crianças que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida vão receber a vacina injetável e as que já tomaram uma ou mais doses devem receber a oral. Para o sarampo, todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos vão receber uma dose da tríplice viral, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Leia também: Europa registra mais de 41 mil casos de sarampo neste ano, afirma OMS

Entre os estados com menor cobertura estão Rio de Janeiro, com 40,15% do público-alvo vacinado para pólio e 41,45% para sarampo, e Roraima, que tem 44,61% para pólio e 41,09% para sarampo. Já os estados com as melhores coberturas vacinais são Amapá, com 90,33% para pólio e 90,14% para sarampo, seguido por Rondônia, com 89,86% para pólio e 88,44% para sarampo.

Casos de sarampo

Segundo o Ministério da Saúde, apenas Amazonas e Roraima vivem surto de sarampo
shutterstock
Segundo o Ministério da Saúde, apenas Amazonas e Roraima vivem surto de sarampo

Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo, em Roraima e no Amazonas. Até o último dia 21, foram confirmados 1.087 casos no Amazonas, enquanto 6.693 permanecem em investigação. Já Roraima confirmou 300 casos da doença e 67 continuam em investigação.

Leia também: Mais de mil casos de sarampo foram confirmados no Brasil em 2018

Há ainda, de acordo com o ministério, casos isolados de sarampo e relacionados à importação nos seguintes estados: São Paulo (2), Rio de Janeiro (18), Rio Grande do Sul (16), Rondônia (1), Pernambuco (2) e Pará (2).

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.