Tamanho do texto

Estudo aponta que é preciso viver a menos de 300m das áreas verdes urbanas para obter benefícios como maior bem-estar mental e satisfação

Embora sejam mal distribuídas e até mesmo raras, as áreas verdes urbanas podem trazer benefícios reais para a saúde mental dos habitantes de uma cidade, como mais satisfação, felicidade e uma maior capacidade de dar valor às coisas à sua volta. E quanto mais perto você estiver, melhor.

Leia também: Saiba como identificar sinais que podem indicar risco de doença mental crônica

Mulher descansando e sorrindo num banco em um parque arrow-options
shutterstock
Para sentir os efeitos positivos das áreas verdes urbanas, é preciso usufruir delas o máximo que puder

Segundo descoberta de cientistas da Warwick University no Reino Unido, os efeitos são mais fortes em pessoas que vivem a 300m ou menos das áreas verdes urbanas , sendo que o aumento de 1 hectare (aproximadamente 10 mil m 2 ) no tamanho dessa área traz um incremento de 8% na sensação de satisfação com a vida e de 7% na capacidade de dar valor às coisas. 

Para chegar a estas conclusões, o estudo, que foi publicado no periódico Applied Geography , fez a combinação entre as respostas de mais de 25 mil participantes da Annual Population Survey do Reino Unido com a forma, tamanho e localização de 20 mil áreas verdes em Londres.

Assim, segundo informações da Warwick University, os autores conseguiram uma maior precisão na hora de modelar a distribuição das áreas arborizadas para o lugar onde morava cada indivíduo e na hora de avaliar como isso influenciava na saúde mental e nas respostas que eles deram para a pesquisa.

Leia também: Meditação melhora desempenho dos alunos durante as provas, afirma estudo

Ao portal de imprensa da instituição, Victoria Houlden, co-autora da pesquisa, comentou que o trabalho é o primeiro a demonstrar como um jardim urbano , um parque ou outros tipos de áreas verdes urbanas interferem em diversos aspectos do bem-estar psicológico.

"Muitos estudos se focam na saúde mental precária, ou em aspectos individuais do bem-estar. O que torna nosso estudo diferente é que nós consideramos o aspecto multi-dimensional da saúde psicológica, em termos de satisfação, felicidade e valorização", complementa.

Como usar as áreas verdes urbanas a seu favor

Vista aérea do Parque do Ibirapuera, uma das principais áreas verdes urbanas de São Paulo arrow-options
shutterstock
Viver próximo a menos de 300 m de áreas verdes urbanas como o Parque Ibirapuera pode ajudar melhorar sua saúde mental

Morar num jardim urbano, porém, não é o suficiente para sentir esses efeitos. Segundo Raquel Mello, psicóloga clínica com abordagem cognitivo comportamental, é preciso usufruir dele constantemente."É preciso estar em contato com a área. O ser humano precisa se abrir ao seu redor para alcançar sua qualidade de vida", afirma.

Leia também: Transtorno bipolar e depressão podem ser causados por poluição do ar, diz estudo

Portanto, sempre que estiver com um tempo de sobra ou quiser fazer alguma coisa fora de casa, lembre-se de que usufruir das áreas verdes urbanas ao seu lado pode ser a solução para matar o tédio e melhorar sua saúde psicológica.