Tamanho do texto

Nos últimos três meses, o Brasil já registrou mais de 2,3 mil casos da doença

O Ministério da Saúde divulgou, na quarta-feira (28), que 2331 casos de sarampo foram confirmados nos últimos três meses em todo o Brasil. O estado de São Paulo concentra o surto da doença, onde há 98% dos casos, além de uma morte já registrada , e a capital segue em campanha de vacinação até o dia 31 de agosto. Mas, afinal, quais os sintomas do sarampo? Como ocorre a transmissão? Como é o tratamento? 

Leia também: Marina Ruy Barbosa está com herpes: "Dói bastante"

sarampo arrow-options
shutterstock
O sarampo é uma doença grave, causada por um vírus, que pode levar à morte; a única forma de prevenção é a vacina

Antes de tudo, é importante destacar que o sarampo é uma doença infecciosa grave, sendo causada por um vírus, que pode levar à morte. A transmissão ocorre pelo ar e acontece quando a pessoa que está com a doença respira, tosse, fala ou espirra perto de outras pessoas. Vale destacar que um indivíduo é capaz de contaminar de 12 a 18 outros. 

Quais os sintomas do sarampo?

Após o contato com alguém doente, a pessoa apresenta os sinais iniciais, em média, depois de 10 dias. De acordo com o Ministério da Saúde, os principais sintomas do sarampo são mal-estar de forma intensa, irritação nos olhos, nariz entupido ou escorrendo e febre que vem acompanhada de tosse.

Depois, o paciente ainda pode apresentar manchas vermelhas atrás das orelhas e no rosto. Em seguida, elas chegam a se espalhar pelo restante do corpo. Ainda segundo o órgão, após o surgimento das manchas, se a febre alta continuar, isso é um sinal grave, principalmente nas crianças menores de cinco anos. 

Como deve ser a prevenção?

A única forma de prevenir a doença é por meio da vacina , que é oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A primeira dose deve ser aplicada assim que as crianças completarem 12 meses (1 ano). A segunda dose ocorre aos 15 meses de vida.

Os surtos da doença podem aumentar a necessidade de receber a vacinação em outros momentos, como é o caso de São Paulo, que segue uma campanha intensa de vacinação contra o sarampo, prorrogada pela Secretaria municipal de Saúde até o dia 31 de agosto.

Nessa campanha, devem ser vacinadas crianças de 6 a 11 meses e jovens de 15 a 29 anos, mesmo que já tenha tomado a vacina anteriormente. Quem tem entre 29 e 59 anos deve ter tomado pelo menos uma doce da vacina tríplice viral para estar imunizado. Profissionais da saúde também estão no foco desta campanha e precisam ter duas doses da vacina.

Até a última quinta-feira, a cobertura na capital tinha atingido 35,4% entre jovens e 41,3% dos bebês. Além da campanha em postos de saúde, seguem as ações em creches, escolas públicas e universidades. Veja onde se vacinar .

Quais as complicações da doença?

O sarampo pode deixar sequelas e, ainda, levar à morte. Em crianças, pneumonia, otite média aguda, encefalite e até mesmo morte podem acontecer. Nos adultos , a pneumonia é a principal complicação. 

Mulheres que não foram vacinadas antes da gestação e contraem a doença podem ter parto prematuro ou fazer o bebê nascer abaixo do peso. A vacina deve ser aplicada antes da gestação, uma vez que é contraindicada durante. 

Como é o tratamento?

No caso do sarampo , não há nenhum tratamento específico. Caso sinta algum dos sintomas já mencionados, procure ajuda médica para que medicamentos para reduzir o desconforto causado possam ser prescritos pelo profissional. Para saber mais pela doença,  clique aqui para acessar o site do Ministério da Saúde. E não acredite nas  notícias falsas que circulam por aí.