.
Reprodução
Jackson corre contra o tempo e conta com solidariedade para conseguir cirurgia


No Brasil, mais de 15 mil pessoas são infectadas todos os anos pela meningite , segundo dados mais recentes do Ministério da Saúde. Além das sequelas comuns em dois a cada dez pacientes, como danos aos órgãos, lesão cerebral e perda de membros, a doença pode tirar a mobilidade dos pacientes .

É o caso do aposentado por invalidez, Jackson Venâncio, 40. Atingindo duas vezes pela meningite em 2011 e 2018, ele corre contra o tempo para não ficar em uma cadeira de rodas para o resto da vida.

Devido ao tratamento, ele precisou tomar muito corticoide, que causou a chamada osteonecrose - morte do tecido ósseo -, que afeta seu quadril, causando dores fortíssimas .

"Comecei a sentir dores leves no quadril, mas não sabia o que eram. Elas aumentaram com o tempo. Depois de passar por alguns médicos, descobri que havia uma necrose no meu quadril em estado avançado , que poderia comprometer o movimento das minhas pernas", diz Jackson.

A meningite é o nome dado à inflamação das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal. Suas causas por bactérias preocupam por serem severas e imprevisíveis.

Cirurgia

Segundo Jackson, que complementa a renda fazendo a higienização de estofados com o irmão, apenas uma cirurgia pode mudar seu quadro.

"O tratamento pelo SUS está em andamento. Mas só consigo agendar a cirurgia para meados de 2022 . Se eu não operar logo, paro de andar e não tenho como me tratar, porque os medicamentos são caros e eu ganho pouco de aposentadoria", afirma.

O ideal, de acordo com os especialistas que o atendem, é que Jackson consiga ser operado até fevereiro do ano que vem. Jackson está contando com a solidariedade da família, amigos e desconhecidos para arrecadar o valor necessário para custear todos os gastos médicos da operação na rede privada de saúde o quanto antes, cerca de R$ 50 mil.

Quem puder e quiser colaborar com qualquer quantia para a vaquinha on-line de Jackson, basta clicar aqui

"Pessoas que eu nem conheço estão me ajudando. A rede de apoio é grande, já passamos dos R$ 10 mil, graças a Deus, mas ainda preciso de um pouco mais. Estou contando com quem puder me ajudar, com quanto puder também. Tenho fé que vou fazer logo essa cirurgia", explica.

Sua história de superação pode ser acompanhada diariamente por seu perfil no Instagram (@jack_venancio_ky),no qual ele divide seu dia a dia por meio de vídeos, fotos e lives.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários