Câncer de pele entre homens aumentou 50% nos últimos 10 anos
Tamires Ferreira
Câncer de pele entre homens aumentou 50% nos últimos 10 anos

Um estudo feito pela Universidade de Oxford, dos EUA, e financiado pela Cancer Research UK, do Reino Unido, mostrou um aumento de 50% no diagnóstico de câncer de pele entre os homens do país europeu. Embora a taxa também tenha se elevado para as mulheres (30%), a doença é mais comum nos homens e, a taxa de mortalidade entre eles também cresceu (8%).

Segundo o Medical Xpress, o estudo explica o também aumento da taxa de mortalidade devido a probabilidade de os homens serem diagnosticados sempre em um estágio já avançado da doença. Além disso, o local onde o câncer geralmente é detectado entre eles é o torço, mais precisamente na região das costas – explicado pelo não uso da camisa e exposição ao sol – o que pode dificultar a percepção de alterações e um diagnóstico precoce.

“Esses números são preocupantes – uma queimadura solar apenas uma vez a cada 2 anos pode triplicar o risco de câncer de pele, por isso é importante que todos saibam como se proteger. Buscar sombra, cobrir-se e aplicar protetor solar pode ajudá-lo a se proteger do sol”, disse Michelle Mitchell, presidente-executiva da Cancer Research UK.

Os números surgiram após a pesquisa tentar entender a ligação entre o risco mais alto de homens desenvolver o câncer de pele e os níveis elevados de testosterona, bem como também a pré-disposição ao câncer de próstata também relacionada ao hormônio.

“Já sabíamos que homens com diagnóstico de melanoma têm maior risco de desenvolver câncer de próstata e vice-versa, o que foi uma pista de que pode haver uma causa biológica ou comportamental comum. E parece que esta ligação pode ser o hormônio testosterona”, disse a Dra. Eleanor Watts, principal autora do estudo.

“O próximo passo será ver se essa ligação é vista em outros estudos e, se for, olhar mais de perto por que a testosterona pode estar relacionada ao risco de desenvolvimento de melanoma em homens”, disse a pesquisadora.

Em um outro estudo, o câncer de próstata também foi associado à obesidade abdominal, podendo causar, inclusive, um tipo mais agressivo da doença.

Você viu?

Para a autora e Michelle Mitchell, presidente-executiva do Cancer Research UK, se a ligação for comprovada e entendida, os dados poderão ser usados para identificar homens que correm um risco particularmente alto de desenvolver câncer e, de imediato, aderir as intervenções necessárias.

De acordo com o estudo, quase 9 em cada 10 (86%) dos casos de câncer de pele no Reino Unido são causados ​​pela exposição ao sol ou pelo uso de espreguiçadeiras, o que sugere que quase 9 em cada 10 casos de câncer de pele com melanoma são evitáveis. A pesquisa explica que um corpo bronzeado não é sinal de boa saúde e que, na verdade, “um bronzeado é o corpo simplesmente tentando se proteger dos raios nocivos.”

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários