Kedydja depois da cirurgia
Divulgação
Kedydja depois da cirurgia


A estudante Kedydja Cibelly Borges dos Santos, 20, espera ter seu rosto reconstruído nos próximos cinco anos após ter sido vítima de um grave acidente de ônibus. A jovem já se submeteu a sete horas de uma cirurgia de rinoplastia, correção de cicatriz e enxerto de gordura na face numa clínica particular em São Paulo.

Pela primeira vez desde o acidente, em 16 de novembro de 2020, Kedydja disse que conseguiu se olhar no espelho. Na ocasião, ela sofreu afundamento de face, ficou sem parte da pele da testa e de uma das sobrancelhas e perdeu a cartilagem do nariz, dificultando a sua respiração e o campo de visão do olho direito.

"Consegui me ver de novo no espelho esta semana depois da retirada dos pontos", contou ela, mostrando o caco de vidro que foi retirado durante a rinoplastia.

Caco de vidro estava no nariz de Kedydja
Divulgação
Caco de vidro estava no nariz de Kedydja


Kedydja chegou a ouvir de um médico de Petrolina, Pernambuco, que ela deveria se conformar com as cicatrizes. "Entrei em depressão depois de escutar que não tinha solução para o meu caso", conta ela, que está em acompanhamento psiquiátrico desde abril.

Você viu?

Em março, como não conseguia um acordo com a empresa responsável pelo ônibus que capotou durante o acidente, ela mudou o assessoramento jurídico e ganhou em abril o direito de ter um acompanhamento psiquiátrico. Em maio, conquistou o direito de fazer as cirurgias reparatórias de nariz, sobrancelha e face. 

A ação foi movida pelo advogado Eduardo Lemos Barbosa, que conseguiu tutela de urgência favorável à jovem, em 21 de maio, garantindo a ela o direito a fazer todos os tratamentos e cirurgias.

Kedydja ferida
Divulgação
Kedydja ferida


O tratamento

A reconstrução da face de Kedydja durará cerca de cinco anos, dois deles com o cirurgião plástico e três com o implante de sobrancelha. Os médicos especialistas informaram a necessidade de uma pausa longa entre os procedimentos para somente depois fazer novas cirurgias.

"O cirurgião plástico me disse que o meu rosto tinha tratamento, tinha um jeito para ele, que conseguiria deixar meu rosto com 90% novo", disse a jovem, esperançosa.

Kedydja teve que fazer uma enxertia de gordura na testa devido ao afundamento, uma rinoplastia para melhorar o aspecto de seu nariz e auxiliar sua respiração, além de correção de cicatrizes. Dentro de um mês, voltará a São Paulo para começar o processo de correção da sobrancelha, que demandará uma série de cirurgias com intervalos entre seis a oito meses.

Além do acompanhamento do cirurgião plástico e do buco-maxilar, foi recomendado à paciente uma técnica chamada de carboxiterapia. Trata-se de um tratamento estético que consiste na aplicação de injeções de gás carbônico nos tecidos que estimula a formação de novos vasos, promovendo melhor irrigação de sangue nos tecidos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários