João Doria São Paulo
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
João Doria São Paulo



Em coletiva nesta quarta-feira (18), o governador João Doria anunciou a redução entre a primeira e a segunda dose das vacinas da Pfizer e AstraZeneca para 21 dias. Regiane de Paula, coordenadora do Programa Estadual de Imunização,  cobrou novamente as doses de Pfizer do Ministério da Saúde para que a redução seja possível.

João Gabbardo, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, afirmou que o motivo para a redução do intervalo entre as doses é a experiência dos outros países com a variante Delta. "A eficácia das vacinas para impedir a transmissibilidade da doença cai com apenas a primeira dose. Apenar de mantere um nível bem elevado de proteção a casos graves, internações e óbitos, há uma redução da eficácia", explicou o coordenador.

"Neste momento em que toda a população com mais de 18 anos já recebeu a primeira dose, nós defendemos que a segunda dose deve ser acelerada. Isso vale para a vacina da Pfizer e para a vacina da AstraZeneca", afirmou Gabbardo, que voltou a cobrar o envio de imunizantes pelo governo federal.

"Esperamos, do Ministério da Saúde, mais doses para que a gente possa avançar [a vacinação] na população adolescente do estado de São Paulo", disse Regiane. A vacinação de pessoas entre 12 a 18 anos com comorbidades ou deficiências permanentes começou nesta quarta-feira (18).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários