Norte-americanos estão procurando ivermectina em lojas especializadas em cuidados animais; dose mais concentrada oferece maior risco
Tamires Ferreira
Norte-americanos estão procurando ivermectina em lojas especializadas em cuidados animais; dose mais concentrada oferece maior risco

As autoridades de saúde do Novo México, nos Estados Unidos, investigam a morte de um paciente de covid-19 que ingeriu o medicamento ivermectina sem prescrição médica. O homem, não identificado, estava internado em um leito de UTI. As circunstâncias da morte estão sendo investigadas.

David Scrase, secretário de saúde do Novo México, fez um alerta para que a população não se automedique com a substância, que não tem eficácia comprovada contra a covid-19. "Eu gostaria que as pessoas soubessem, se elas estiverem tomando ivermectina, que isso pode matá-los", disse.

Ela é utilizada em casos muito específicos contra parasitas e doenças de pele segundo o FDA, a agência reguladora dos Estados Unidos, e também na medicina veterinária para o tratamento de animais. As fórmulas para animais são mais concentradas, e tóxicas para seres humanos. No país, lojas que comercializam o produto para uso animal precisaram instalar placas pedindo para que as pessoas não consumam a substância.

Durante a nova onda de infecções causada pela variante Delta no país, resultando no aumento de hospitalizações, as autoridades médicas notaram também o aumento do número de pessoas que recorreram ao medicamento, assim como as farmácias reportaram aumento significativo na demanda. Há relatos de overdoses pela droga.

O National Institutes of Health afirmou, em fevereiro, que "não há evidências suficientes para recomendar o uso de ivermectina para o tratamento de covid-19".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários