SP: Pessoas com 2ª dose da AstraZeneca atrasada estão sendo imunizadas com Pfizer
Governo de São Paulo
SP: Pessoas com 2ª dose da AstraZeneca atrasada estão sendo imunizadas com Pfizer

Os postos de saúde de  São Paulo não vão mais exigir a assinatura de um termo de ciência para quem tomar a vacina da Pfizer como segunda dose da Astrazeneca na capital. A exigência causou polêmica desde a última segunda-feira (13), quando a intercambialidade de doses foi autorizada pelo governo para sanar o problema de falta de vacinas no Estado.

"Nós acabamos de receber um novo instrutivo da secretaria estadual da saúde, colocando o termo de ciência como facultativo e não obrigatório. Então, diante dessa nova orientação da secretaria estadual e Saúde, nós também vamos deixar, obviamente como conhecimento generalizado da eficiência do intercâmbio das vacinas, de exigir o termo porque isso toma tempo dos nossos profissionais", disse o secretário Municipal de Saúde, Edson Aparecido, em entrevista à GloboNews.

O secretário informou que a determinação tinha partido do próprio governo do estado, que optou por revisar a regra a partir de hoje.

Na última sexta-feira (10), o governo anunciou que aplicaria a vacina da Pfizer em cidadãos que estivessem com a 2ª dose da AstraZeneca em atraso. A decisão foi tomada com o aval do Comitê Científico do Plano Estadual de Imunização (PEI), do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e a chancela da Organização Mundial de Saúde (OMS), após a capital registrar falta de doses em cerca de 99% dos postos de saúde.

Se beneficiam da medida quem não conseguiu se vacinar entre os dias 1ª e 15 de setembro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários