Tedros Adhanom, chefe da OMS
Reprodução/Instagram
Tedros Adhanom, chefe da OMS

O chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou nesta segunda-feira que a nova  variante Ômicron está se espalhando mais rápido que a Delta e provocando infecções em pessoas que já se vacinaram contra a Covid-19 ou se recuperaram da doença.

"Agora há evidências consistentes de que a Ômicron está se espalhando significativamente mais rápido do que a variante Delta", disse o diretor-geral em uma coletiva de imprensa para jornalistas baseados em Genebra, realizada em seu novo edifício-sede. "E é mais provável que as pessoas vacinadas ou recuperadas da Covid-19 possam ser infectadas ou reinfectadas", concluiu.

A cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, disse que a variante estava evitando com sucesso algumas respostas imunológicas, o que significa que os programas de reforço que estão sendo lançados em muitos países deveriam ser direcionados a pessoas com sistemas imunológicos mais fracos.

Leia Também

Segundo funcionários da OMS, a Ômicron parece ser melhor em evitar anticorpos gerados por algumas vacinas, mas existem outras formas de imunidade que podem prevenir infecções e doenças.

"Não acreditamos que todas as vacinas se tornarão completamente ineficazes", disse Swaminathan, segundo a Reuters. "Claro que há um desafio, muitos dos monoclonais não funcionam com o Omicron", emendou ao falar sobre um tratamento para pessoas com a doença.

Adhanom também disse que a China, onde o coronavírus foi detectado pela primeira vez no final de 2019, deve fornecer dados e informações relacionadas à sua origem para ajudar na resposta no futuro.

"Precisamos continuar até sabermos as origens, precisamos nos esforçar mais porque devemos aprender com o que aconteceu desta vez para (fazer) melhor no futuro", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários