Diretor da entidade fez previsão em entrevista a jornal italiano, fazendo a ressalva de que primeiro é necessário constatar se dados preliminares de eficácia são
Foto: Pixabay
Diretor da entidade fez previsão em entrevista a jornal italiano, fazendo a ressalva de que primeiro é necessário constatar se dados preliminares de eficácia são "sólidos"

Uma  vacina contra a Covid-19 pode começar a ser distribuída na Europa a partir de janeiro. É o que disse o diretor da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês), Guido Rasi, neste sábado (14). A afirmação foi feita em entrevista ao jornal italiano Il Sole 24 Ore.

Rasi diz que a entidade pode dar certificação a uma primeira vacina daqui até o final de 2020. No mundo, a mais avançada é a das farmacêuticas Pfizer e BioNTech, que divulgou estudos preliminares de fase 3 e que dão conta de uma eficácia na casa dos 90%.

"Se os dados são sólidos, poderemos dar o sinal verde para a primeira vacina daqui até o fim do ano e começar a distribuição a partir de janeiro", disse o diretor.



A Comissão Europeia, responsável pela autorização final de vacinas, anunciou nesta semana que acertou com os dois laboratórios a compra de cerca de 300 milhões de doses deste imunizante.

A EMA, responsável por autorizar e controlar medicamentos, aposta em mais seis ou sete vacinas diferentes a serem lançadas em 2021, diz Rasi. "Temos recebido também dados pré-clínicos da AstraZeneca (...) e tivemos várias discussões com a Moderna", afirmou ele. "Com uma vacina no mercado em janeiro, teremos os primeiros efeitos sobre a propagação do vírus em cinco ou seis meses, especialmente durante o próximo verão europeu."

O diretor da EMA destaca ainda que está claro que não será possível uma vacinação ampla da população e categorias "mais expostas", como idosos e profissionais da saúde devem ser priorizados. Levará ao menos um ano para que se vacine a todos, ele projeta. "Se tudo correr bem, até o final de 2021 teremos uma imunização suficiente", diz.

    Veja Também

      Mostrar mais