CoronaVac
Fotoarena / Agência O Globo
Vacina Coronavac, produzinda pelo Butantan, contra a Covid-19

O governo de São Paulo já considera a possibilidade de uma campanha de vacinação com dose única da CoronaVac contra a Covid-19, de acordo com informações do Jornal Folha de São Paulo. O método, que é adotado pelo Reino Unido e estudado pela Alemanha, Bélgica e Dinamarca, busca aumentar a quantidade de pessoas imunizadas no primeiro momento.

No Reino Unido, a segunda dose foi adiada para 12 semanas após a primeira injeção, e não mais o intervalo original de 21 dias. A adesão do Brasil à estratégia depende de estudos que avaliem exatamente a eficácia do imunizante com um espaço de tempo maior entre as duas doses.

Caso a vacina - cuja eficácia ainda não foi divulgada no Brasil - apresente uma cobertura considerada muito boa já na primeira dose, é possível que o governo de São paulo opte por repetir a ideia do Reino Unido.

De acordo com o governo de São Paulo, o pedido para uso emergencial no Brasil e divulgação da eficácia da vacina contra Covid-19 ocorrerá na próxima quinta-feira (7). O início da campanha de vacinação, que ainda não foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), está marcado para o dia 25 de janeiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários