A Alemanha perdeu controle sobre pandemia de coronavírus
Redação - BBC News Mundo
A Alemanha perdeu controle sobre pandemia de coronavírus

Após registrar o maior número de casos de coronavírus desde o início da pandemia, a Alemanha está prevendo restrições mais rígidas para aqueles que se recusam a tomar a vacina contra a covid-19. Entre essas restrições estão o uso de máscara em determinados ambientes e a exigência de exames para trabalhar e usar o transporte público.

O país informou nesta terça-feira (16) que a propagação da doença está se acelerando, com casos na última semana em um recorde de 312,4 por 100 mil pessoas. Foram 265 mortes a mais, o maior aumento em um dia desde 27 de maio.

A resposta do país à quarta onda do coronavírus foi abatida pela mudança do governo que acontecerá em breve. No momento, a chanceler Angela Merkel faz o papel de guardiã do país enquanto as negociações para formar um novo Gabinete prosseguem.

Sob pressão para agir, os deputados da coalizão do governo estão planejando apresentar um projeto, no fim desta semana, que deve impor restrições mais duras às pessoas que não foram vacinadas.

Leia Também

"Na verdade, uma quarentena para os não vacinados está a caminho", disse Dirk Wiese, vice-líder do Partido Social-Democrata (SPD) no Parlamento alemão, à televisão ZDF, nesta terça-feira.

Com menos de 70% da população totalmente imunizada, a Alemanha está atrás de outros países europeus, como Espanha, Itália e Portugal, na adesão à vacina.

Os partidos da coalizão governista estão resistindo a adotar uma quarentena geral e preferindo uma nova legislação, com maiores poderes para os estados alemães imporem restrições.

Merkel e Olaf Scholz — o social-democrata que pretende ser empossado para sucedê-la no mês que vem — realizarão uma videoconferência com líderes estaduais na quinta-feira para discutir os próximos passos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários