Exame Gravidez
Reprodução
Exame Gravidez

Engravidar é o sonho de muitas mulheres, embora cada vez mais elas estejam optando por serem mães mais velhas. Altos índices de escolaridade, maior participação feminina no mercado de trabalho e popularização dos métodos contraceptivos são os principais fatores para essa escolha.

Na década de 60, acreditava-se que a faixa etária ideal estava entre 18 e 25 anos, hoje em dia a medicina ainda considera entre os 30 e 35 anos uma idade propícia para a gestação.

Algumas mulheres, porém, optam pela maternidade após os 35, na última década, o número de mulheres que engravidou nessa faixa subiu para 84%.

Apesar da estabilidade financeira e maturidade , existem pontos negativos como queda na fertilidade com a diminuição da produção de óvulos e o aumento do risco a saúde da mãe e do bebê.

Outro fator de risco que a gravidez tardia pode trazer são as anormalidades cromossômicas, aborto espontâneo , baixo peso ao nascer, sofrimento fetal, macrossomia, rotura prematura de membrana (RPM), mecônio intraparto, restrição do crescimento fetal, distocias, placenta prévia, pós datismo, oligodrâmnio e polidrâmio, internação em UTI e óbito neonatal.

Isso se deve ao envelhecimento dos óvulos que se desenvolvem durante a vida embrionária e permanecem no ovário até a liberação, em uma ovulação mensal, como também à condição circulatória da mulher na idade avançada.

O avanço da idade do homem também contribui para a piora na qualidade de células reprodutivas.

Engravidar após os 35 anos aumenta não só o risco de problemas para o bebê, mas problemas como pré-eclampsia (pressão alta) e diabetes gestacional, quanto mais velha for a mulher, mais suscetível fica a doenças crônicas como essas.

Você viu?

Métodos conceptíveis para ajudar a engravidar após os 35

O congelamento de óvulos é uma alternativa indicada a mulheres que não podem ou não desejam uma gravidez num futuro próximo. Quanto mais jovem, melhor será a qualidade e maiores chances de uma gravidez no futuro.

Para quem quer engravidar após os 35 de maneira natural e está encontrando dificuldades os médicos podem recomendar algumas técnicas de reprodução assistida.

O coito programado é a orientação do melhor período do ciclo menstrual para o casal ter relações sexuais e conseguir a gestação, pode ser feita de forma natural ou através de medicamentos indutores de ovulação.

A inseminação artificial uterina também pode ser uma opção. Nela, o sêmen é tratado e os espermatozoides são selecionados em laboratório antes de serem inseridos diretamente no interior do útero da mulher.

O objetivo é aproximar o espermatozoide do óvulo, facilitando a fertilização mesmo que não haja uma certeza de que eles se encontrarão.

Na fertilização in vitro (FIV) , um procedimento de reprodução assistida de alto sucesso, a mulher recebe gonadotrofinas (hormônios proteicos) de forma subcutânea para estimular o ovário.

Após, sob sedação, são coletados o máximo de óvulos maduros através de um procedimento chamado aspiração folicular, feita através de uma ultrassonografia transvaginal.

No laboratório, cada óvulo é colocado em uma cultura com milhares de espermatozoides saudáveis do parceiro ou doador para que a fecundação ocorra. Os melhores embriões são transferidos para o útero da mulher.

É importante que a mulher que opte por engravidar após os 35 entenda os fatores associados aos maiores riscos , de forma que busque assistência necessária.

Por mais que existam controvérsias quanto aos reais riscos materno-fetais nas gestações tardias, grande parte dos especialistas concorda que nesses casos a gestação é considerada de risco e necessita de cuidados pré-natais específicos.

Para  participar da Semana da Saúde e obter informações, inscreva-se neste formulário e ainda ganhe 5 e-books, sobre os temas da Semana, gratuitamente, sem sorteio:


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários