Membros do governo de São Paulo com a CoronaVac nas mãos
Foto: Governo de São Paulo
Segundo membros do governo de São Paulo, não há razão para aplicação emergencial da CoronaVac não ser aceita pela Anvisa

O governo de São Paulo pedirá à Anvisa a aplicação emergencial da CoronaVacvacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotec — nesta  quinta-feira (7). O anúncio deve ser feito durante a coletiva de imprensa em que a gestão anunciará a reclassificação das cidades no Plano São Paulo.

Assim que o pedido for entregue à Anvisa, a agência reguladora terá 10 dias para aprovar ou não a vacinação. Segundo o portal Uol, um integrante do centro de contingêcia da Covid-19 em São Paulo garantiu que não há razão para a não aprovação do imunizante, "nem por pressão política".

Segundo já afirmou o infectologista e secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn , a idéia é solicitar à agência tanto o uso emergencial quanto o definitivo.

Desde o dia 7 de dezembro, o governador João Doria afirma que o  início da aplicação da vacina ocorrerá no dia 25 de janeiro, aniversário da cidade de São Paulo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários