São Paulo pode diminuir intervalo entre doses da Pfizer e AstraZeneca
Reprodução: ACidade ON
São Paulo pode diminuir intervalo entre doses da Pfizer e AstraZeneca


O estado de São Paulo pode diminuir o intervalo entre as doses das vacinas Pfizer e AstraZeneca contra a Covid-19, disse o governador João Doria nesta sexta-feira (23). Segundo um estudo da Universidade de Oxford,  o intervalo ideal entre as duas doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19 é de oito semanas.

No Brasil, o intervalo de 12 semanas vem sendo questionado com o  avanço da variante Delta no país. "Se tivermos mais vacinas será possível, especialmente no caso da Pfizer, antecipar esse prazo de 90 dias entre a 1ª e a 2ª dose para um prazo mais curto", afirmou Doria, dizendo que isso é "possível e é recomendado", disse Doria em entrevista à rádio CBN. 

Segundo o governador, o Ministério da Saúde prometeu antecipar as entregas das vacinas algumas vezes, mas não cumpriu o combinado e repassou menos doses do que o volume anunciado. "Prometeu oito vezes um número e entregou oito vezes menos para o Programa Nacional de Imunização", afirmou Doria.

Novo ciclo de vacinação em 2022

João Doria disse na entrevista que especialistas apontam para a necessidade de uma vacinação anual contra a Covid-19. O que ainda não se sabe, no entanto, é o período entre um ciclo vacinal e outro.

Recentemente,  o governo do estado de São Paulo anunciou que haverá um novo ciclo de vacinação contra a doença em 2022. De acordo com Doria, profissionais da saúde serão o primeiro grupo a receber o imunizante nesse novo ciclo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários