A hora certa para o doce

Especialistas recomendam quando e qual doce comer para não comprometer a dieta

Chris Bertelli, iG São Paulo

Getty Images
Especialistas sugerem melhor horário para comer um doce
Infelizmente, a hora ideal para devorar um chocolate não é quando bate aquela vontade incontrolável.

De acordo com os especialistas, existe sim um momento mais adequado para saciar esse desejo: depois das principais refeições.

“O melhor horário é depois do almoço, pois o açúcar se mistura com outros nutrientes ingeridos, como fibras da salada, proteínas e gorduras da carne, e evita picos de insulina no sangue”, recomenda a nutricionista Gabriella Guerrero, da consultoria Nutriessencial.

Quando ingerimos doces de barriga vazia, os níveis de açúcar no sangue aumentam rapidamente, o que provocaria esse pico. Essa oscilação não é saudável, e pode estar relacionada com diabetes, obesidade e outras doenças.

A endocrinologista Claudia Cozer, da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), explica que ao comer um carboidrato acompanhado de outro grupo alimentar o estímulo de secreção da insulina é menor.

“Por isso, sempre recomendamos a ingestão de uma proteína junto com o carboidrato, para minimizar os efeitos sobre a insulina”, afirma.

Além disso, satisfeito pela refeição, a tendência é que a quantidade consumida seja menor e mais bem regulada. Perder o controle e devorar uma caixa de bombons, por exemplo, é mais incomum nesse momento.

Leia: Cinco doces para comer sem culpa

Outro período ideal, sugerem os nutricionistas, é antes ou depois das atividades físicas. Pré-exercício, o doce ajuda a dar ânimo e energia; pós-treino auxilia na recuperação do glicogênio muscular. “Antes da prática de uma atividade física dará ao organismo a possibilidade de queimar essas calorias”, diz o nutrólogo e fundador do Instituto de Medicina Integrada, Health4Life, Mohamad Barakat.

Quer comer quanto?

Mesmo nas dietas mais restritivas, os especialistas não costumam recomendar a suspensão total do doce, ainda mais para quem gosta e sente necessidade. Mas há uma cota que deve ser respeitada e pode ser diária ou semanal, dependendo da avaliação profissional de cada caso. “Se está com sobrepeso, indicamos 120 calorias no máximo. Se a pessoa é magra e está com a saúde em dia, essa quantidade pode aumentar”, diz Cozer.

Se o objetivo é emagrecer, a recomendação costuma ser “doces somente aos finais de semana” e sempre respeitando a quantidade. Mas os especialistas já entendem que, quando a vontade bate com intensidade, o melhor é satisfazê-la.

“Nesses casos, se deixar para comer no final de semana, em vez de um pedaço de chocolate come um pedaço enorme de torta de limão”, avalia. O segredo, diz ela, está na quantidade (pouca) e na frequência (no máximo duas vezes por semana)

O melhor doce

Alguns alimentos são menos prejudiciais à dieta do que outros. As melhores opções são sempre aqueles com menos gorduras e calorias. O chocolate ao leite costuma ser um dos grandes vilões na luta contra os quilos em excesso, o ideal é optar pela versão amarga, com mais cacau e menos gordura.

Os preferidos dos nutricionistas – e, por isso, os mais indicados – são as frutas, de preferência frescas ou em caldas. Sorvetes de frutas (palito) ou de iogurte, gelatinas e pudins light também podem ser opções interessantes.

Leia tudo sobre: saúdealimentaçãodocechocolate

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG