Cansaço e insônia podem ser sintomas de problema na tireoide

Conheça outros sinais de que essa glândula tão importante para o corpo não anda bem e saiba quando procurar o médico

Tatiana Tavares , especial para o iG São Paulo

Getty Images
Exame clínico do pescoço: se perceber alguma alteração na região é importante ir ao médico

Cansaço, insônia, suores, queda de cabelos e até sintomas opostos como perda de peso ou dificuldades para emagrecer podem ser sinais de que algo não vai bem com a glândula tireoide.

Se este é o seu caso, segue o alerta: é importante procurar um endrocrinologista o quanto antes, pois problemas como hipotireoidismo, hipertireoidismo, nódulos benignos e malignos de tireoide e tireoidites (inflamações da glândula tireoide) são problemas mais comuns do que se pensa e alguns deles podem se transformar em problemas graves de saúde.

Siga o iG Saúde no Twitter

Conhecida por sua forma de borboleta, a tireoide está localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo da região conhecida como Pomo de Adão (ou popularmente, gogó). Ela exerce um papel importante no funcionamento de coração, cérebro, fígado e rins, e tem ação sobre o crescimento das crianças, a fertilidade, o peso corporal, a concentração, os ciclos menstruais e até mesmo as emoções. Apesar de pesar entre 15 e 25 gramas, trata-se da maior glândula do corpo humano.

Leia mais: Tristeza pode ser hormonal, sabia?

Entre as doenças mais comuns envolvendo a tireoide, estão o hipotireoidismo (mais frequente) e o hipertireoidismo (menos frequente). Enquanto o primeiro é caracterizado pela redução da produção dos hormônio T3 e T4 pela tireoide, o segundo ocorre quando há aumento da produção desses hormônios. Nos dois casos, é preciso procurar ajuda de um especialista quando um sintoma ou um conjunto deles começam a aparecer.

Leia mais sobre as doenças da tireoide na Enciclopédia da Saúde

A endrocrinologista Andresa Balestro explica que o tratamento do hipotireoidismo consiste na reposição do hormônio da tireoide em doses que variam conforme o peso e idade da pessoa.

“A dose é ajustada periodicamente com base em exames de sangue por meio da dosagem do TSH. É essencial que o paciente siga as recomendações médicas, usando diariamente o medicamento em jejum”, alerta a médica.

Já o tratamento do hipertireoidismo normalmente é feito com o uso de propiltiouracil ou metimazol – o endocrinologista é quem definirá qual destes medicamentos está indicado e a dose adequada a ser administrada.

“O uso de iodo radioativo pode ser necessário se, após mais de um ano de tratamento medicamentoso, o quadro clínico não se resolver”, diz Andresa, completando que, em alguns casos, a cirurgia da tireoide pode ser indicada.

Inimigo da tireoide

O anti-TPO (anticorpo antitireopperoxidase) é um anticorpo contra a tireoide. Por motivos ainda pouco conhecidos pelos médicos, o organismo passa a produzir anticorpos contra a própria glândula tireoide, mas o processo de destruição da glândula costuma ser lento e gradual.

Conforme as células da tireoide vão sendo destruídas, a capacidade da glândula em produzir os hormônios T3 e T4 é prejudicada. A presença de anti-TPO em uma pessoa com hipotireoidismo indica que a causa da doença é a doença de Hashimoto, também conhecida como tireoidite crônica autoimune, cujo tratamento é diário e contínuo.

Pacientes com anti-TPO positivo e níveis normais dos hormônios da tireoide têm 5% de chance ao ano de desenvolver hipotireoidismo. Por isso, recomenda-se revisão a cada 6 a 12 meses com um endocrinologista com o objetivo de iniciar tratamento quando necessário.

Conheça os testes que medem os níveis de hormônio da tireoide no Guia de Exames

A seguir, a endocrinologista Jacqueline Rizzolli lista alguns sintomas que podem indicar problemas na tireoide.

Hipotireoidismo: cansaço, sonolência excessiva, pele seca, queda de cabelos, sensação de frio mais intensa que o normal, constipação intestinal, dificuldade para perder peso, inchaço em pálpebras, mão e pés.

Hipertireodismo: agitação, insônia, sensação de calor mais intensa, taquicardia, tremores nas mãos, sudorese excessiva, evacuações frequentes e/ou diarreia, perda de peso, irritabilidade.

Tireoidites: podem não apresentar sintomas ou causar dor na região do pescoço, dificuldade para engolir, febre, sensação de inchaço no pescoço.

Nódulos e tumores de tireoide: geralmente não geram sintimas. Eventualmente, com a tireoide aumentada de tamanho, podem causar sensação de aperto ou sufocação na região do gogó. Saiba mais sobre o câncer de tireoide.

QUANDO PROCURAR UM ENDOCRINOLOGISTA:

  • - Se tiver história familiar de alteração da tireoide
  • - Quando perceber atraso no crescimento de crianças
  • - Caso note aumento do diâmetro do pescoço
  • - Se tiver sintomas e sinais compatíveis com doença da tireoide
  • - Caso use medicamentos que podem afetar a tireoide, como carbolítio, amiodarona e interferon
  • - Se teve exposição prévia ao iodo radioativo ou radiação na região da cabeça, pescoço e tronco
  • - Em caso de gestação com alteração dos exames de tireoide
  • - Se já tiver feito alguma cirurgia da tireoide

Leia mais notícias de saúde

Leia tudo sobre: saúdetireoidecoraçãopesohormôniosglândula

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG