Informações sobre como prevenir o câncer de mama devem ser confirmadas com um ginecologista
shutterstock
Informações sobre como prevenir o câncer de mama devem ser confirmadas com um ginecologista

Conhecido como “Outubro Rosa”, o décimo mês do ano ganha uma cor diferente para alertar e intensificar o combate ao câncer de mama. Entre os esforços do governo, unidades de saúde, entidades médicas e organizações não governamentais, as redes sociais também  se destacam pela maneira como reforça a campanha mundial, com a propagação de informações sobre como prevenir o câncer de mama e os riscos da doença.

Leia também: Uso de anticoncepcional hormonal aumenta chance de câncer de mama, diz estudo

 Contudo, apesar de ser uma ferramenta poderosa, por ser capaz de atingir de maneira mais impactante e diariamente os usuários, a internet também pode acabar proporcionando um desserviço quando notícias sem embasamento científico ou mentirosas sobre como prevenir o câncer de mama são compartilhadas.

 Isso porque é cada vez mais comum recorrer à conteúdos online para tirar dúvidas sobre saúde. De acordo com um levantamento da Jornada Digital do Paciente, realizado pelo grupo Minha Vida, 94% dos 3.860 brasileiros entrevistados responderam que procuram informações sobre esse tema na rede. Um estudo do Google reforça a tendência: a cada 20 termos utilizados pelos usuários, um é referente à área médica.

 Segundo a gerente médica da Central Nacional Unimed, Gláucia Berreta Ruggeri, existe aumento pela busca de informações sobre o câncer de mama , principalmente neste período do ano, mas o incentivo para a checagem dos dados encontrados na internet ainda é pouco praticado.

 Para esclarecer algumas dúvidas relacionadas a doença, veja uma lista de informações encontradas nas redes sociais e saiba o que é verdade ou não.

Tira-dúvidas sobre como prevenir o câncer de mama

Saber como prevenir o câncer de mama é fundamental para evitar a doença
shutterstock/Reprodução
Saber como prevenir o câncer de mama é fundamental para evitar a doença


  •  Lavar o sutiã evita o câncer de mama?

 Manter a higiene das roupas íntimas é essencial, pois ajuda a evitar fungos, bactérias, infecções e doenças da pele. Mas não existem evidências que relacionem o risco do câncer de mama à higiene, ou a cor do tecido e sutiãs revestidos com arame.

 Ainda há quem diga que não usar sutiã na hora de dormir também ajuda na prevenção, porém também não existe nenhuma relação da doença com o hábito.

  • Mulheres com seios pequenos têm poucas chances de desenvolverem o câncer?

 Mamas grandes têm cinco vezes mais chances de desenvolver o câncer, de acordo com pesquisas. Especialistas chamam atenção para esses casos, pois a quantidade de tecido glandular pode dificultar a identificação de tumor durante os exames.

  • Homens podem ter câncer de mama?

Assim como as mulheres, homens apresentam glândulas mamárias. Apesar da baixa incidência, o câncer de mama masculino – eles representam 1% de todos os casos diagnosticados -, a taxa de mortalidade entre os homens é alto. Nos Estados Unidos, por exemplo, de 1910 casos registrados, na maioria das vezes, o tumor foi identificado tardiamente, já em estágio avançado, dado que homens não costumam realizar exames rotineiros de controle.

Você viu?

"Ainda há um mito de que apenas mulheres desenvolvem câncer de mama . Por isso, o alerta para os homens é que adiante de qualquer mudança suspeita na região mamária, procurar um especialista para que seja possível o diagnóstico precoce e tratamento adequado", avalia o Dr. Daniel Gimenes, oncologista clínico.

O especialista ressalta ainda que o autoexame também é recomendado para os homens e que depois dos 50 anos a atenção deve ser aumentada, já que é a faixa etária em que ocorrem mais casos do câncer de mama masculino.

Leia também: Empoderamento feminino e seu protagonismo na luta contra o câncer de mama

  • Quanto menos a mulher menstruar menor é a chance de ter o câncer de mama? Ou seja, ter filhos até os 35 anos e amamentar podem ajudar na prevenção?

Quanto menos a mulher for exposta aos hormônios estrogênio e progesterona, menores são as chances de ter a doença. Esses hormônios estão relacionados ao ciclo menstrual, então, quando a mulher amamenta seu filho, os ciclos são interrompidos. Quanto maior o período de amamentação e o de número de filhos até 35 anos, maior é a prevenção.

  • Uma vez curado, o câncer de mama pode voltar?

Cerca de 30% das pacientes que tiveram câncer de mama apresentam a progressão da doença e metástases, mesmo quando a doença é detectada precocemente. O tumor atinge outros órgãos, como ossos, pulmão e fígado.

  • Chá de graviola ajuda a combater a doença?

Ainda não há comprovação sobre a eficácia do chá de graviola contra o câncer de mama. A ingestão do chá durante o tratamento é tóxica para os rins e fígado e pode interferir no resultado dos medicamentos quimioterápicos. Médicos também alertam para a gravidade dos efeitos colaterais.

  • Mamografia é o único exame para identificar o tumor?

A mamografia é o principal exame para detectar a doença. Porém, não é o único. Por isso é importante sempre seguir as recomendações médicas e realizar, anualmente, todos os exames exigidos pelo ginecologista, como ressonância magnética e ultrassom. O autoexame, que consiste em apalpar os seios na busca de caroços também deve ser feito periodicamente – mas ele não consegue encontrar vários tipos de tumores, o que não anula a consulta com o especialista.

  • Não há tratamento para câncer de mama metastático?

Atualmente, com o avanço da ciência, é possível encontrar tratamentos e medicamentos que possibilitam o controle da doença por vários anos. Os efeitos colaterais das drogas mais novas também são menores, o que aumenta a qualidade de vida de quem tem a condição.

  • Ter câncer é uma questão de sorte? Não existe prevenção?

Nos casos da pré-existência de câncer entre familiares, o monitoramento para detecção precoce é fundamental. A adoção de hábitos saudáveis ajuda a evitar não só o câncer como outras doenças crônicas.

Leia também: Uma em cada dez mortes por câncer de mama são atribuíveis ao sedentarismo

Portanto, não fumar, evitar o consumo nocivo do álcool e praticar exercícios físicos são atitudes com impactos confirmados pela ciência. As orientações de como prevenir o câncer de mama também incluem gerenciar o peso corporal, manter uma alimentação saudável, evitar o consumo excessivo de carne animal, preferindo verduras, legumes e frutas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários