Tamanho do texto

A insônia é um problema que, sem tratamento, pode trazer prejuízos sérios à saúde; conheça os tipos e veja dicas para combater a falta de sono à noite

Está com dificuldade para dormir? A insônia afeta mais de 70 milhões de brasileiros – mas saiba que é possível combatê-la
shutterstock
Está com dificuldade para dormir? A insônia afeta mais de 70 milhões de brasileiros – mas saiba que é possível combatê-la

Você, alguma vez na vida, já sentiu dificuldade para dormir? De fato, não são poucas as pessoas que passam por isso. Para se ter uma ideia, 72% da população brasileira sofrem com algum problema relacionado ao sono, de acordo com um estudo da Royal Philips , divulgado em março deste ano.

Leia também: Sono: vilão ou aliado? Confira cinco dicas de como dormir melhor

O distúrbio mais comum é a insônia, que afeta 73 milhões de brasileiros, e consiste em passar várias horas seguidas acordado, com dificuldade para dormir. E, infelizmente, as consequências de uma noite mal dormida - como, por exemplo, dor de cabeça, no corpo e o cansaço - já podem ser sentidas logo no dia seguinte.

Afinal, quais são os tipos de insônia?

Quem tem dificuldade para dormir sabe o quanto é ruim ter insônia; conheça os tipos e aprenda a identificar cada uma
shutterstock
Quem tem dificuldade para dormir sabe o quanto é ruim ter insônia; conheça os tipos e aprenda a identificar cada uma

De acordo com Renata Federighi, consultora da Duoflex, essa condição está dividida em três tipos. A primeira e mais leve, conhecida como aguda, pode durar apenas uma noite. “Às vezes, a pessoa está com um problema emocional, como ansiedade – ou seja, alguma ação pontual, e isso compromete a qualidade de seu sono. Acontece de forma passageira”, explica.

Já quando os sintomas aparecem e desaparecem, sem um período específico, chamamos de intermitente. No geral, tanto essa quanto a aguda podem estar relacionadas à hábitos errados, como dormir em uma postura ou com o travesseiro errado, consumir alimentos inadequados antes de se deitar e até mesmo à falta de uma rotina regular do sono.

Quando o problema aumenta de forma progressiva – ou seja, mais de 20 episódios em um mês, por exemplo, a insônia é chamada de crônica. “Essa é mais grave. E, quando não tratada, pode causar uma série de doenças. O importante é começar a tratar quando você perceber qualquer alteração na qualidade do seu sono”, alerta a consultora.

Causas e consequências 

O estresse está entre as causas da insônia, que traz dificuldade para dormir; outros problemas também estão na lista
shutterstock
O estresse está entre as causas da insônia, que traz dificuldade para dormir; outros problemas também estão na lista

Como já vimos, as causas podem ir desde problemas como dores no corpo, ansiedade, estresse , cochilos em horas inapropriadas e má postura. Entretanto, o distúrbio pode estar, ainda, relacionado aos sintomas da depressão, ao alto consumo de cafeína e ao tabagismo.

Renata explica que os problemas da falta de sono são perceptíveis no dia a dia. “A pessoa acorda cansada, tem problemas de concentração, sonolência, irritabilidade e falta de humor”, diz.

O fato é que quem sofre com a insônia costuma levantar diversas vezes no período da noite e até mesmo acordar antes do horário previsto. Por conta disso, as pessoas não conseguem ter um descanso restaurador e sentem os efeitos durante o dia, como cansaço, irritabilidade, dificuldade de concentração e falhas de memória.

Leia também: Pesquisa demonstra como a falta de sono afeta a tomada de decisões na crise

Como tentativa de combater o problema, há quem opte por compensar o sono da semana aos sábados e domingos. Porém, de acordo com Renata, essa prática não é recomendável. “O relógio biológico fica desregulado e, em longo prazo, pode ser prejudicial, causando distúrbios do sono. O ideal é ter uma rotina de descanso regular”, explica.

Dicas para ter uma boa noite de sono e combater a dificuldade para dormir

Quer ter uma boa noite de sono e sem nenhuma dificuldade para dormir? Confira as dicas
shutterstock
Quer ter uma boa noite de sono e sem nenhuma dificuldade para dormir? Confira as dicas

1. Atenção à postura

O repouso de qualidade consiste em associar uma boa postura ao uso correto do travesseiro. A posição mais indicada por especialistas é a de lado, com dois travesseiros, sendo que um deles deve apoiar a cabeça, em altura que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando um ângulo de 90 graus no pescoço. O segundo, por sua vez, deve ser usado entre os joelhos, que devem estar semiflexionados, para melhor alinhamento da coluna.

2. Silêncio e ambiente escuro

Dormir em ambientes claros - ou até mesmo com a luz acesa - interfere na produção da melatonina, hormônio que avisa ao cérebro que já está na hora de ir dormir. Além disso, é importante deixar de lado algumas atividades antes de ir para a cama, como, por exemplo, passar horas no celular e ir deitar logo em seguida. Desligue também a TV e deixe o local o mais silencioso e confortável possível.

3. Alimentos leves antes de dormir

O ideal é alimentar-se até três horas antes de dormir. Afinal, é necessário fazer digestão. Alguns alimentos recomendados são: alface, maçã, pepino e ervas, como cidreira e camomila. Os que são ricos em triptofano também ajudam a proporcionar noites bem dormidas e, entre eles, banana, leite, abacate e soja.

Leia também: Além de engordar, dormir mal pode agravar outras doenças; veja quais

4. Atividades relaxantes

Faça alongamento e deixe o corpo relaxar. Até quatro horas antes de ir deitar, faça movimentos tranquilos e leves. Com isso, você terá menos dificuldade para dormir e poderá ter uma boa noite de sono.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.