Alimentação rica em vegetais, peixes e fibras afasta quilos a mais que vêm com os anos

Dieta mediterrânea ajuda a manter hábitos alimentares saudáveis
Thinkstock/Getty Images
Dieta mediterrânea ajuda a manter hábitos alimentares saudáveis
Pessoas que seguem uma dieta típica da região Mediterrânea podem evitar os quilos extras que vêm com o envelhecimento, sugere um novo estudo espanhol.

No entanto, os pesquisadores afirmam que não é possível afirmar com certeza se foi a dieta em si ou comportamentos saudáveis o responsável por protelar o ganho de peso natural da idade – decorrente, entre outras coisas, da desaceleração do metabolismo.

A dieta mediterrânea é rica em peixe, frutas, verduras, legumes e cereais, e limitada em carnes vermelhas e laticínios. Pesquisas anteriores já haviam descoberto os benefícios desse tipo de regime para seus seguidores, incluindo a proteção contra doenças cardiovasculares e diabetes, bem como a perda de peso entre os que já estão com sobrepeso ou obesidade.

“A pergunta que queríamos responder era: qual é o efeito do padrão dietético da dieta mediterrânea entre os jovens, os não obesos e as pessoas saudáveis. Descobrimos que é um padrão alimentar conveniente, uma vez que desacelera o ganho de peso normalmente observado com a idade”, revela Juan-Jose Beunza, da Universidade de Navarra.

O pesquisador e seus colegas recrutaram mais de 10.000 espanhóis com estudo superior completo, de 38 anos. O grupo teve de preencher um questionário de frequência de 136 itens alimentares. Em seguida, acompanharam a alimentação dos participantes por cerca de seis anos.

Durante a pesquisa, os voluntários engordaram, em média 0,24 kg por ano. A equipe descobriu que os selecionados que relataram baixa adesão ao padrão alimentar mediterrâneo ganharam o maior peso, enquanto aqueles que aderiram à dieta foram menos propensos ganhar calorias. Na verdade, quem se alimentava seguindo à risca as recomendações da dieta mediterrânea foi 10% menos propenso se tornar obeso ou ficar acima do peso, até o final do estudo. Além disso, esse mesmo grupo teve uma chance 24% menor de acumular de 5kg nos primeiros quatro anos.

Iris Shai, da Universidade Ben Gurion, em Israel, observou que pessoas que seguem a dieta sentem-se saciadas rapidamente. Tal relação é provocada pelo alto teor de fibras de uma refeição tipicamente mediterrânea.

"Este estudo sugere que a adesão a hábitos alimentares saudáveis é o fator chave para evitar o ganho de peso natural anual no longo prazo, que ocorre durante a vida adulta", afirma Shai, que não esteve envolvido no novo estudo.

"Isso é extremamente importante à luz das questões críticas levantadas por alguns torcedores de outros perfis alimentares que dizem que a dieta mediterrânea, por causa de seu alto teor de carboidratos complexos, pode trazer ganho de peso", afirma Francesco Sofi, da Universidade de Florença, na Itália, mas que também não participou da pesquisa espanhola.

No entanto, uma vez que este estudo só incluiu universitários graduados, Sofi acredita que os resultados podem não ser aplicáveis à população em geral.

Beunza e seus colegas também apontam para algumas limitações do estudo, incluindo a possibilidade de que os participantes mais adeptos ao estilo da dieta mediterrânea também foram mais propensos a seguir os outros aspectos de uma vida saudável. Os cientistas, entretanto, fizeram a análise dos dados relacionando possíveis fatores de confusão, como tabagismo e exercício, e ainda obtiveram os mesmos resultados.

"O padrão da dieta mediterrânea é uma boa opção para evitar cair na epidemia da obesidade e todas as suas consequências nocivas", disse Beunza.

Por Lynne Peeples

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.