Intolerância ao glúten muitas vezes é confundida com outros problemas e pode levar a problemas sérios de saúde

Proteína presente no trigo, na aveia, no centeio, na cevada e no malte, e responsável por dar elasticidade a pães, bolos e massas, o glúten pode causar estragos em quem tem hipersensibilidade a ele: trata-se da doença celíaca.

O glúten é uma proteína presente em inúmeros alimentos, principalmente naqueles à base de trigo, e é nociva aos celíacos
Thinkstock/Getty Images
O glúten é uma proteína presente em inúmeros alimentos, principalmente naqueles à base de trigo, e é nociva aos celíacos

Quando ingerido por portadores da doença, o glúten provoca danos na mucosa do intestino delgado, impedindo uma digestão normal. A consequência disso são sintomas como diarreia, perda de gordura pelas fezes e anemia.

Mas existem muitas questões em torno da intolerância ao glúten e a doença celíaca. Leia abaixo os mitos e verdades sobre o problema:

A intolerância ao glúten é facilmente diagnosticada.

MITO. Não existe uma idade específica em que a doença celíaca se manifesta. Segundo a médica nutróloga Vivian Suen, da Associação Brasileira de Nutrologia, isso pode acontecer desde o primeiro ano de vida até os 80 anos. Além disso, muitas vezes os sintomas são facilmente confundidos com outros problemas. Entre os sintomas, estão a diarreia, a perda de gordura pelas fezes e anemia (em decorrência da deficiência de algum nutriente).

A doença celíaca é um problema raro.

MITO. Não. Segundo o Conselho Nacional de Saúde, afeta em torno de dois milhões de pessoas no Brasil, mas a maioria delas não foi diagnosticada. De cada oito pessoas que têm a doença, apenas uma tem o diagnóstico.

É possível tratar a doença celíaca sem muitas alterações na dieta.

MITO. O tratamento da doença celíaca passa necessariamente por mudanças nos hábitos alimentares. Os portadores da doença não podem ingerir nenhum alimento que contenha glúten, como pães, bolos, biscoitos, macarrão, pizza etc. Segundo a nutricionista Rosa Silvestrim, existe ainda a contaminação cruzada. Ou seja, quem tem intolerância ao glúten não deve usar utensílios (pratos, talheres, copos etc) ou alimentos que tiveram contato com algum produto que contenha a proteína.

Pessoas com intolerância ao glúten devem cuidar ao fazer refeições fora de casa.

VERDADE. O portador da doença celíaca precisa estar muito atento ao fazer refeições fora de casa. No caso das crianças, os pais devem orientá-las. As festas infantis, por exemplo, são momentos que requerem bastante atenção. A nutricionista Rosa Silvestrim dá algumas dicas de guloseimas que podem ser ingeridas por crianças intolerantes ao glúten: pão de queijo, biscoitos de polvilho, sorvetes e picolés específicos, alguns refrigerantes, sucos naturais, salgadinhos de farinha de arroz e brigadeiro (com leite condensado e chocolate específico).

A doença celíaca tem cura.

MITO. A enfermidade não tem cura, mas com a exclusão do glúten da alimentação os sintomas já começam a desaparecer. Ou seja, é uma condição controlável, mas que deve receber atenção para o resto da vida.

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.