Fumantes são mais infelizes, afirmam estudos

Por Maria Fernanda Ziegler - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Pesquisa brasileira diz que cigarro causa depressão, artigo britânico afirma que ex-fumante tem melhora na saúde mental

O cigarro não traz felicidade. Mesmo que fumantes do mundo inteiro afirmem que o cigarro relaxa, acalma e até faz pensar melhor, cientistas estão cada vez com mais provas que derrubam o mito do cigarro antiestresse. De acordo com dois estudos publicados recentemente, o fumo piora o humor, provoca ansiedade e está ligado a casos de depressão.

Veja: Como o cigarro afeta o corpo

Pesquisadores brasileiros afirmam que o cigarro é um forte agente depressor do humor. No estudo - realizado no hospital São Lucas em Porto Alegre com 1021 pessoas entre fumantes, não-fumantes e ex-fumantes -, verificou-se que o grupo de fumantes tem maior grau de depressão. Em uma escala que mede os pontos de grau de depressão, o grupo de fumantes, em média, atinge 50% mais pontos do que quem nunca fumou ou largou o cigarro.

Teste: qual o seu nível de dependência do cigarro?

Getty Images
Pesquisadores derrubam o mito de que cigarro reduz o estresse

De acordo com o coordenador do estudo, o pneumologista José Miguel Chatkin, há solução para os fumantes. Após a turbulência inicial dos primeiros dias de abstinência do cigarro, o ex-fumante se torna mais feliz do que aquele que permanece fumando. Chatkin afirma também que o fumo esporádico do cigarro até melhora o humor, mas no longo prazo pode levar à depressão.

Leia também: Estresse, ansiedade e até felicidade são gatilhos de recaídas no cigarro

Pesquisadores britânicos pegaram ainda mais pesado nos argumentos antitabaco. Em um artigo publicado neste mês no British Medical Journal, estudiosos afirmam que largar o cigarro melhora a saúde mental, e de forma rápida (em menos de seis semanas).

Tornar-se ex-fumante está associado com a redução da depressão, da ansiedade e do estresse; e com a melhora do humor e da qualidade de vida. De acordo com os pesquisadores, o efeito de abandonar o cigarro é igual ao visto no uso de antidepressivos no tratamento de ansiedade.

Para chegar a esta conclusão, eles analisaram 26 estudos que compararam a saúde mental de pessoas antes e depois de terem largado o vício. “Espero que esses estudos mudem a perspectiva das pessoas a respeito do cigarro. Muitos fumantes citam o período estressante que estão passando como desculpa para não largar o cigarro, mas vemos que é justamente o contrário. Parar de fumar ajuda na redução da ansiedade e melhora a saúde mental”, afirma Gemma Taylor da Universidade de Birmingham e autora principal do estudo.

Gemma afirma que o mito do cigarro relaxante pode ser explicado pelo fato de os fumantes experimentarem irritabilidade, ansiedade e depressão quando não fumam por um tempo. Estes sentimentos são aliviados quando ele fuma. “Crian-se, desta forma, uma impressão de que fumar tem benefícios psicológicos, quando na verdade foi o tabagismo que fez com que estes distúrbios se sobressaíssem”, disse.

Leia tudo sobre: cigarrovíciosaúde mentaldepressãoansiedade

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas