Minha Saúde

enhanced by Google
 

Meningite meningocócica

Compartilhar:
Conteúdo exclusivo para o iG no Brasil e usado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos

Definição

A meningite meningocócica é uma infecção que causa inchaço e irritação (inflamação) das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal.

Consulte também:

  • Meningite asséptica
  • Meningite
  • Meningite - criptocócica
  • Meningite - gram-negativos
  • Meningite - H. influenzae
  • Meningite - pneumocócica
  • Meningite - estafilocócica
  • Meningite - tuberculosa

Causas, incidência e fatores de risco

Foto: ADAM

Lesões meningocócicas nas costas

A meningite meningocócica é causada pela bactéria Neisseria meningitidis (também conhecida como meningococo).

A maioria dos casos de meningite meningocócica ocorre em crianças. O meningococo é a causa mais comum de meningite bacteriana em crianças e a segunda causa mais comum de meningite bacteriana em adultos.

A infecção ocorre com mais frequência no inverno ou na primavera. Ela pode causar epidemias locais em internatos, dormitórios estudantis ou bases militares.

Os fatores de risco incluem exposição recente ao meningococo e uma infecção recente do trato respiratório superior.

Sintomas

A doença pode se manifestar rapidamente e começar com uma infecção do trato respiratório superior ou dor de garganta.

Os sintomas incluem:

  • Febre alta
  • Alterações do estado mental
  • Náuseas
  • Áreas roxas, como machucados (púrpura)
  • Erupções, pontos vermelhos (petéquias)
  • Sensibilidade à luz (fotofobia)
  • Dor de cabeça forte
  • Mal-estar geral grave
  • Pescoço rígido
  • Vômitos

Exames e testes

O exame físico poderá mostrar:

  • Taquicardia
  • Pressão arterial baixa
  • Possível erupção
  • Pescoço rígido

Para qualquer paciente com meningite, é importante realizar uma punção lombar, na qual o líquido cérebro-espinhal (conhecido como líquido cefalorraquidiano ou LCR) é coletado para exames.

Os testes incluem:

  • Hemocultura
  • Cultura de LCR
  • Tomografia computadorizada do cérebro
  • Colorações especiais do líquido cérebro-espinhal
  • Contagem de leucócitos

Tratamento

Antibióticos como a ceftriaxona são prescritos e administrados no braço por via intravenosa. Outros medicamentos podem ser utilizados para tratar as complicações resultantes do aumento da pressão do líquido cérebro-espinhal.

Às vezes, são utilizados medicamentos esteroides, mais frequentemente em crianças que em adultos.

As pessoas em contato próximo com alguém com meningite meningocócica devem receber antibióticos para prevenir a infecção.

Essas pessoas incluem:

  • Membros da família
  • Companheiros de quarto em dormitórios
  • Aqueles que tenham contato próximo com uma pessoa infectada

Evolução (prognóstico)

O diagnóstico e o tratamento precoces são extremamente importantes para prevenir uma forma grave da doença ou a morte. A taxa de mortalidade varia de 5% a 15%. As crianças pequenas e os adultos com mais de 50 anos correm maior risco de morte.

Complicações

  • Dano cerebral
  • Surdez
  • Hidrocefalia
  • Maior pressão do líquido cérebro-espinhal
  • Retardo mental
  • Miocardite
  • Paralisia de vários músculos
  • Choque

Ligando para o médico

Vá para o pronto-socorro ou ligue para o número de emergência local (como o 192) se:

  • Notar sintomas de meningite
  • Os sintomas piorarem ou não melhorarem com o tratamento
  • Achar que teve contato com alguém com meningite

A meningite pode se tornar fatal rapidamente.

Prevenção

Todos os familiares e pessoas próximas (principalmente em ambientes de saúde ou de educação) a alguém com esse tipo de meningite devem começar o tratamento com antibióticos assim que possível para impedir a propagação da doença. Pergunte a seu médico sobre isso durante a primeira visita.

Os contatos próximos em casa, na escola ou na creche devem ser observados para detectar sinais precoces da doença assim que o primeiro caso for diagnosticado. Tenha sempre bons hábitos de higiene, como lavar as mãos antes e depois de trocar fraldas ou depois de usar o banheiro.

As vacinas são eficazes para controlar epidemias. Elas são atualmente recomendadas para:

  • Estudantes universitários
  • Recrutas militares
  • Pessoas que viajam a certas regiões do mundo

Referências

Swartz MN. Meningitis: bacterial, viral, and other. In: Goldman L, Ausiello D, eds. Cecil Medicine. 23rd ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2007:chap 437.

Todas as doenças
Ver de novo