Minha Saúde

enhanced by Google
 

Transtorno bipolar

Compartilhar:
Conteúdo exclusivo para o iG no Brasil e usado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos

Definição

O transtorno bipolar envolve períodos de humor elevado ou irritável (manias) alternados com períodos de depressão. As "oscilações de humor" entre a mania e a depressão podem ser muito bruscas.

Nomes alternativos

Depressão maníaca; Transtorno afetivo bipolar

Causas, incidência e fatores de risco

O transtorno bipolar afeta homens e mulheres igualmente. Ele geralmente tem início entre os 15 e 25 anos. A causa exata ainda é desconhecida, mas ocorre com mais frequência em familiares de pessoas com transtorno bipolar.

Foto: ADAM

Transtorno bipolar

Tipos de transtorno bipolar:

  • As pessoas com transtorno bipolar do tipo I apresentam, no mínimo, um episódio maníaco completo com períodos de depressão maior. Antigamente, o transtorno bipolar do tipo I era chamado de depressão maníaca
  • As pessoas com transtorno bipolar do tipo II nunca apresentam episódios maníacos completos. Em vez disso, elas apresentam períodos de hipomania (níveis elevados de energia e impulsividade que não são tão intensos como os sintomas da mania). Esses episódios hipomaníacos se alternam com episódios de depressão
  • Uma forma leve de transtorno bipolar chamada ciclotimia envolve oscilações de humor menos graves com períodos alternados de hipomania e depressão leve. As pessoas com transtorno bipolar do tipo II ou ciclotimia podem ser diagnosticadas incorretamente como tendo apenas depressão

Para a maioria das pessoas com transtorno bipolar, não existe uma causa evidente para os episódios maníacos ou depressivos.

Fatores que podem desencadear um episódio maníaco nas pessoas vulneráveis à doença:

  • Mudanças na vida, como o nascimento de um bebê
  • Medicamentos, como antidepressivos ou esteroides
  • Períodos de insônia
  • Uso de drogas recreativas

Sintomas

A fase maníaca pode durar dias ou meses, e alguns possíveis sintomas são:

  • Agitação ou irritação
  • Autoestima exagerada (ilusões de grandeza, ilusão de que possui habilidades especiais)
  • Redução da necessidade de sono
  • Humor visivelmente elevado
    • Hiperatividade
    • Aumento de energia
    • Falta de autocontrole
    • Pensamentos acelerados que se atropelam
  • Envolvimento excessivo nas atividades
  • Pouco controle do temperamento
  • Comportamento imprudente
    • Compulsão alimentar, beber demais e/ou uso excessivo de drogas
    • Incapacidade de tomar decisões conscientemente
    • Promiscuidade sexual
    • Gastos excessivos
  • Tendência a se distrair facilmente

Esses sintomas da mania são vistos com o transtorno bipolar I. Nas pessoas com transtorno bipolar II, os episódios hipomaníacos incluem sintomas similares, mas menos intensos.

A fase depressiva nos dois tipos de transtorno bipolar apresenta os seguintes sintomas:

  • Desânimo diário
  • Dificuldade de se concentrar, de lembrar ou de tomar decisões
  • Transtornos alimentares
    • Perda de apetite e de peso
    • Comer excessivamente e ganho de peso
  • Fadiga ou apatia
  • Sentir-se inútil, sem esperança e/ou culpado
  • Baixa autoestima
  • Tristeza constante
  • Pensamentos recorrentes sobre a morte
  • Distúrbios do sono
    • Sonolência excessiva
    • Incapacidade de dormir
  • Pensamentos suicidas
  • Perda de interesse nas atividades que antes eram prazerosas
  • Afastamento dos amigos

O risco de tentativas de suicídio em pessoas com transtorno bipolar é grande. Em qualquer uma das fases, os pacientes podem abusar do álcool ou de outras substâncias, piorando os sintomas.

Em alguns casos, ocorre uma sobreposição entre as duas fases. Os sintomas maníacos e depressivos podem ocorrer juntos ou rapidamente um após o outro. Isso recebe o nome de estado misto.

Exames e testes

O diagnóstico do transtorno bipolar envolve a consideração de muitos fatores.

O médico pode usar todas ou algumas das opções abaixo:

  • Perguntar sobre seu histórico médico familiar, principalmente se alguém na família tem ou já teve transtorno bipolar
  • Perguntar sobre suas oscilações de humor recentes e há quanto tempo você apresenta esse tipo de alteração
  • Observar seu comportamento e humor
  • Realizar um exame completo para identificar ou descartar causas físicas para os sintomas
  • Solicitar exames laboratoriais para verificar a ocorrência de problemas na tireoide ou níveis toxicológicos
  • Conversar com os seus familiares para saber a opinião deles sobre o seu comportamento
  • Fazer um histórico médico, incluindo todos os seus problemas médicos e os medicamentos usados

Observação: O uso de drogas recreativas pode ser responsável por alguns dos sintomas, mas isso não descarta o transtorno afetivo bipolar. O próprio abuso de drogas pode ser um sintoma do transtorno bipolar.

Tratamento

As fases de depressão e mania voltam a ocorrer na maioria dos pacientes, mesmo sob tratamento.

Principais objetivos do tratamento:

  • Evitar o ciclo de alternância de fases
  • Evitar a necessidade de hospitalização
  • Ajudar o paciente a agir da melhor maneira possível entre os episódios
  • Impedir que ocorra comportamento autodestrutivo, incluindo suicídio
  • Reduzir a gravidade e a frequência dos episódios

Primeiramente, o médico tenta determinar quais são os possíveis desencadeadores do episódio de alteração de humor e identificar os problemas médicos ou emocionais que podem interferir no tratamento ou até mesmo dificultá-lo.

Os medicamentos conhecidos como estabilizadores de humor são considerados o tratamento padrão. Estabilizadores de humor usados com frequência:

  • Carbamazepina
  • Lamotrigina
  • Lítio
  • Valproato (ácido valpróico)

Outros medicamentos anticonvulsivos também podem ser receitados.

Entre outros medicamentos usados para tratar o transtorno bipolar estão:

  • Medicamentos antipsicóticos e antiansiedade (benzodiazepinas), que podem ser usados para estabilizar o humor
  • Remédios antidepressivos podem ser administrados em conjunto com medicamentos estabilizadores de humor para tratar a depressão. As pessoas com transtorno bipolar têm mais chance de apresentar episódios maníacos ou hipomaníacos se tomarem antidepressivos. Por essa razão, os antidepressivos só são receitados para as pessoas que também estão tomando um estabilizador de humor

A terapia eletroconvulsiva (TEC) pode ser usada para tratar a fase maníaca ou depressiva de um transtorno bipolar que não responde aos medicamentos.

  • A TEC é um tratamento psiquiátrico que utiliza corrente elétrica para causar uma breve convulsão no sistema nervoso central enquanto o paciente está anestesiado
  • A TEC é o tratamento mais eficaz no caso das depressões que não são amenizadas com medicamentos

A estimulação magnética transcraniana (EMT) utiliza pulsos magnéticos de alta frequência que são direcionados para as áreas afetadas do cérebro. Depois da TEC, a estimulação é geralmente usada como o segundo tratamento padrão.

O paciente que está no meio de um episódio maníaco ou depressivo pode precisar ser hospitalizado até que seu humor seja estabilizado e seu comportamento esteja sob controle.

Os médicos ainda estão tentando descobrir a melhor forma de tratar o transtorno bipolar nas crianças e nos adolescentes. Os pais devem levar em consideração os possíveis riscos e benefícios do tratamento para os seus filhos.

PROGRAMAS E TERAPIAS DE APOIO

Os tratamentos familiares que combinam apoio e educação sobre o transtorno bipolar (psicoeducação) parecem ajudar as famílias a lidar com a situação e a reduzir as chances de os sintomas retornarem. Os programas que destacam os serviços de apoio social e para pessoas carentes podem ajudar aqueles que não recebem apoio da família ou de conhecidos.

Habilidades importantes:

  • Lidar com os sintomas que se manifestam mesmo com o uso de medicamentos
  • Aprender a ter um estilo de vida saudável com sono suficiente e a manter distância das drogas recreativas
  • Aprender a tomar os medicamentos corretamente e a lidar com os efeitos colaterais
  • Aprender a reconhecer os sinais iniciais de uma recaída e saber como reagir quando ela ocorre

Os familiares e cuidadores são muito importantes no tratamento do transtorno bipolar. Eles podem ajudar os pacientes a buscar serviços de apoio adequados e garantir que o paciente siga a terapia medicamentosa.

Dormir uma quantidade suficiente de horas é extremamente importante no transtorno bipolar porque a falta de sono pode desencadear um episódio de mania. A psicoterapia pode ser uma opção eficaz durante a fase depressiva. Participar de um grupo de apoio pode ser de grande ajuda para os pacientes com transtorno bipolar e seus familiares e amigos.

  • Um paciente com transtorno bipolar nem sempre é confiável para descrever o estado da doença para o médico. Os pacientes geralmente têm dificuldade para reconhecer seus próprios sintomas maníacos
  • As variações de humor no transtorno bipolar são imprevisíveis, por isso, algumas vezes, é difícil saber se o paciente está respondendo ao tratamento ou saindo naturalmente de uma fase bipolar
  • As estratégias de tratamento para crianças e idosos ainda não foram estudadas em detalhes nem definidas claramente

Evolução (prognóstico)

Os medicamentos estabilizadores de humor podem ajudar a controlar os sintomas do transtorno bipolar. Entretanto, os pacientes geralmente precisam de ajuda e apoio para tomar os medicamentos corretamente e garantir que os episódios de mania e depressão sejam tratados o mais rápido possível.

Algumas pessoas param de tomar o medicamento assim que se sentem melhores ou porque querem sentir novamente a produtividade e criatividade associadas à mania. Embora a sensação nesses estados maníacos iniciais seja boa, interromper a medicação pode trazer consequências muito negativas.

O suicídio é um risco real durante a mania e a depressão. A apresentação de pensamentos, ideias e gestos suicidas nas pessoas com transtorno afetivo bipolar indica a necessidade de atendimento médico de emergência.

Complicações

Interromper ou tomar incorretamente o medicamento pode fazer os sintomas voltarem e causar as seguintes complicações:

  • Abuso de álcool e/ou drogas como uma estratégia de "automedicação"
  • Danos nas relações pessoais e profissionais e prejuízos financeiros
  • Pensamentos e comportamentos suicidas

Essa é uma doença difícil de tratar. Os pacientes, seus amigos e familiares devem estar cientes dos riscos de negligenciar o tratamento do transtorno bipolar.

Ligando para o médico

Ligue imediatamente para o médico ou um serviço de emergência se:

  • Você estiver tendo pensamentos de morte ou suicídio
  • Você apresentar sintomas graves de depressão ou mania
  • Você tiver sido diagnosticado com transtorno bipolar e seus sintomas tiverem voltado ou você apresentar novos sintomas

Referências

Moore DP, Jefferson JW. Bipolar disorder. In: Moore DP, Jefferson JW, eds. Handbook of Medical Psychiatry. 2nd ed. Philadelphia, Pa: Mosby Elsevier;2004:chap 80.

Schiffer RB. Psychiatric disorders in medical practice. In: Goldman L, Ausiello D, eds. Cecil Medicine. 23rd ed. Philadelphia, Pa:Saunders Elsevier;2007:chap 420.

Benazzi F. Bipolar disorder -- focus on bipolar II disorder and mixed depression. Lancet. 2007;369:935-945.

Morriss RK, Faizal MA, Jones AP, Williamson PR, Bolton C, McCarthy JP. Interventions for helping people recognise early signs of recurrence in bipolar disorder. Cochrane Database Syst Rev. 2007;24;(1):CD004854.

Sachs GS, Nierenberg AA, Calabrese JR, et al. Effectiveness of adjunctive antidepressant treatment for bipolar depression. N Engl J Med. 2007;356:1711-1722.

Todas as doenças
Ver de novo