Minha Saúde

enhanced by Google
 

O essencial da consulta médica masculina

Veja o que não pode faltar no atendimento médico para garantir a boa saúde do homem

Bruno Folli, iG São Paulo

Compartilhar:

Foto: Thinkstock Photos

É fundamental verificar a pressão arterial em consultas médicas

O ginecologista não cuida apenas do órgão sexual feminino. Ele também é importante na saúde da mulher como um todo. As consultas podem detectar inúmeros problemas que vão além da libido e isso é possível, especialmente, pelo fato das visitas ao médico serem constantes. Já com os homens, o mesmo não acontece.

Não existe uma especialidade médica para o homem equivalente ao ginecologista para a mulher. O urologista, por exemplo, costuma ser mais procurado quando existem problemas pontuais, em vez das consultas periódicas de caráter preventivo. Outros especialistas também são mais requisitados desta maneira. Mas mesmo nestas consultas com reclamações pontuais, o médico pode fazer uma avaliação mais ampla e, assim, detectar com antecedência diversos problemas.

O primeiro passo é ter uma boa conversa com o médico. “A primeira avaliação clínica deve ser cuidadosa e verificar questões como vacinação, histórico de procedimentos cirúrgicos, doenças prévias, alimentação e qualidade do sono”, afirma André Negrão, clínico geral do Hospital São Luiz.

O histórico familiar de doença é outra peça fundamental. “Em pé de jaca, dá jaca”, brinca o médico. Inúmeras doenças têm o risco aumentado quando há histórico entre familiares, especialmente em parentes de primeiro grau. “Hipertensão e câncer são dois problemas que requerem atenção”, exemplifica.

Circunferência abdominal

O simples ato de medir a circunferência abdominal do homem já é uma forma de identificar o risco de várias doenças. Quando ela é igual ou superior a 102 centímetros, o paciente fica mais sujeito a desenvolver síndrome metabólica, que pode se manifestar com diabetes, hipertensão arterial e colesterol alto, entre outras complicações.

Excesso de peso e obesidade atingem 60% dos brasileiros adultos, segundo recente levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e isso é tido como gatilho para problemas fatais como infarto e acidente vascular cerebral (AVC). O excesso de peso pode desencadear ou agravar apneia do sono, o que pode levar a problemas sexuais.

“Além de medir a circunferência abdominal, o médico deve ainda verificar a frequência cardíaca, escutar coração e pulmões para completar o exame”, afirma Negrão. As chamadas medidas antropométricas – como peso, altura e índice de massa corporal – não podem faltar, como a medida da pressão arterial.

Avaliação do metabolismo

Um exame de sangue simples é suficiente para verificar como está o metabolismo masculino. “Ácido úrico, colesterol, triglicérides e glicemia são fundamentais e precisam ser avaliados”, aponta Eduardo Berger, coordenador do centro de check-up do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos.

Alterações nestes indicadores podem acender o sinal de alerta para problemas como má alimentação ou disfunção da glândula tireóide. Neste último caso, a doença pode comprometer o funcionamento de diversos órgãos e ainda acelerar o ganho de peso.

Próstata

O urologista Rodrigo Rodrigues da Costa, do Hospital Beneficência Portuguesa, afirma que é fundamental para o homem fazer um acompanhamento da próstata a partir dos 40 anos. O câncer de próstata é um dos principais tumores masculinos e registrou em 2010 mais de 50 mil novos casos, segundo informações do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

“O exame de toque é o mais eficiente para detectá-lo”, afirma Rodrigues da Costa. Pelo toque, o médico consegue detectar pequenas alterações na anatomia da próstata que podem indicar o surgimento de um tumor. Existem outros indicadores, como o PSA, mas eles podem não ser tão precisos ou tão rápidos na indicação da doença.

A velocidade no diagnóstico é fundamental para que o tratamento comece a ser realizado antes do tumor se tornar muito grande. Caso ele avance, o risco da cirurgia para retirá-lo passa a ser maior. Disfunção erétil e incontinência urinária estão entre as possíveis sequelas do procedimento cirúrgico.

Doenças sexuais e libido

Caso o paciente tenha menos de 40 anos, também é importante uma avaliação urológica. “O médico deve avaliar questões relativas à libido e alertar para doenças sexualmente transmissíveis”, afirma o urologista. “Dúvidas sobre sexo são frequentes em jovens”, aponta.

A própria limpeza correta do pênis é um tema a ser abordado, visto que a higiene inadequada é um dos principais motivos para tumores no órgão sexual. O Inca estima que os tumores de pênis representem 2% dos casos de câncer em homens.

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo