Tamanho do texto

Após oito anos sofrendo com a condição, britânica decidiu experimentar "cápsulas de maconha" para tratar as lesões e finalmente teve resultado

A britânica Emily McClarron que sofre de acne severa encontrou solução na
Reprodução
A britânica Emily McClarron que sofre de acne severa encontrou solução na "cápsula de maconha"

Cremes caseiros, drogas controladas, remédios populares… toda vez que ouvia falar sobre qualquer tipo de produto que prometia ser eficaz no tratamento de acne severa, Emily McClarron testava. Sem sucesso, foi na tentativa desesperada de experimentar qualquer coisa como alternativa para resolver seu problema que a britânica encontrou a solução: cápsulas de canabidiol.

Leia também: Possível doença do goleiro Alisson, rosácea não tem cura mas pode ser controlada

Também conhecido como CBD, o canabidiol é um dos princípios ativos da Cannabis sativa , nome científico da maconha. A origem do composto químico assustou no início, mas McClarron não via outra solução: “Eu estava a ponto de testar qualquer coisa que me indicassem para me livrar da acne severa ”, disse ao Daily Mail .

Por oito anos a jovem sofreu tentando eliminar as lesões de sua pele, provocadas pela condição que sofria desde os 17 anos. Os efeitos do problema dermatológico eram tão influentes em sua vida, que ela chegou a deixar de sair com amigos, com vergonha da aparência.

"Era horrível”, contou. “Eu tentei de tudo, mas nada parecia ajudar. Tentava encobrir as manchas com maquiagem, mas mesmo assim me sentia deprimida com a minha aparência. Tudo o que eu via quando olhava no espelho era a acne.”

Durante as várias idas e vindas para o consultório do dermatologista ao longo desses anos, McClarron, que trabalha como controladora de estoque, recebeu diversas prescrições de antibióticos e géis diferentes, em uma tentativa de reduzir os efeitos do problema, mas nada parecia funcionar.

"Eu tive reações ruins a tudo", afirmou. “Cheguei a ter erupções em todo o meu corpo e meu rosto inchou como se eu tivesse sido picada por uma vespa. Uma vez, usando um gel, senti como se a camada superior da minha pele estivesse queimada.”

Um dermatologista chegou a indicar uma droga poderosa para a condição, mas a britânica recusou, pois sabia dos efeitos colaterais - que poderiam ser piores do que a própria acne. "Sabia dos riscos de depressão e alteração de humor. Mas eu já estava deprimida o bastante por causa da minha pele e não queria me arriscar a me sentir pior."

Insegura e ansiosa, a jovem se sentia no “fundo do poço”, quando começou a se dedicar a fazer, sozinha, seus próprios produtos para cuidados com a pele. "Eu não queria colocar uma droga extremamente forte no meu corpo, mas não sabia mais o que fazer", disse ela.

“Então comecei a pesquisar na internet como tratar a acne e li que mel e açafrão poderiam ajudar. Eu estava a ponto de tentar qualquer coisa, então passei a testar os produtos naturais”, contou.

Ao juntar os dois ingrediente, McClarron começou a usar a mistura como máscara facial, depois lavava o rosto com mel, óleo de jojoba, óleo de prímula e óleo de lavanda.

Apesar de algumas cicatrizes causadas pela acne severa, em três meses  de tratamento já foi possível ver a diferença
Reprodução
Apesar de algumas cicatrizes causadas pela acne severa, em três meses de tratamento já foi possível ver a diferença

A jovem chegou a perceber uma mudança em sua pele, mas não uma transformação. Foi então que ela descobriu as “ cápsulas de maconha ”, como são chamadas popularmente, e começou a tomar um comprimido de 10mg todos os dias. Atualmente, já se foram três meses desde que ela iniciou o novo tratamento, e sua pele teve uma melhora significativa, o que nunca havia acontecido.

Leia também: Entenda o que é melasma, condição que afeta a modelo Mariana Goldfarb

Cápsulas de CBD para tratamento da acne severa

Cápsulas de CBD ajudam a acalmar quem sofre de acne severa, diminuindo as lesões na pele
shutterstock
Cápsulas de CBD ajudam a acalmar quem sofre de acne severa, diminuindo as lesões na pele

Apesar de ser um dos princípios ativos da maconha, o canabidiol compõe até 40% dos extratos da planta, mas não causa efeitos psicoativos, como o THC - responsável pela sesnação alucinógena em quem consome maconha in natura.

O CBD é utilizado, inclusive, no tratamento de diversas doenças, como epilepsia e fibromialgia, por ter seu poder anticonvulsivante, anti-inflamatório, ansiolítico e antitumoral.

“Desde que comecei a tomar as cápsulas, combinadas com os produtos caseiros, as pessoas me disseram como minha pele ficou incrível. Quando eu digo a eles que são as cápsulas de canabidiol, eles perguntam se é legal, e eu respondo que sim”, afirmou.

Por não conter THC, as cápsulas são liberadas no Reino Unido. No Brasil, o CBD não faz mais parte da lista de substâncias ilegais desde 2015, quando a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o colocou na lista de substâncias controladas, que exigem receita e laudo médico para a importação. Além disso, algumas ONGs são autorizadas a produzir o medicamento por aqui.

Desde que passou a aderir o novo tratamento, as lesões na pele diminuíram bastante. Segundo ela, as lesões e irritações se acalmam, e ela se sente melhor.

"As capsulas de canabidiol não me curaram, mas ajudou a controlar minha condição de uma vez por todas. Antes disso, se eu estivesse me sentindo ansiosa ou nervosa, a acne ficava ainda pior, era como um gatilho. Mas com as cápsulas me sinto muito mais calma e as erupções não aparecem mais.”

McClarron sente que sua pele está “99% melhor”, mesmo com as cicatrizes. “Finalmente me sinto confiante para sair sem maquiagem, o que eu nunca fiz antes. Agora me sinto feliz com o jeito que eu sou.”

Tipos de acne

Acne severa acontece quando as pústulas se tornam cistos e abscessos, de acordo com a SBD
shutterstock
Acne severa acontece quando as pústulas se tornam cistos e abscessos, de acordo com a SBD

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a acne é uma condição de pele que surge quando folículos capilares são obstruídos por secreções gordurosas e células mortas da pele. Essa obstrução inflama as glândulas sebáceas, provocando as lesões que tanto incomodam.

Normalmente, a condição é mais grave no período da adolescência, que é quando há o desenvolvimento dos hormônios sexuais, fazendo "explodir" a produção dessas secreções. A sociedade informa que a acne é o problema dermatológico mais comum do Brasil, afetando cerca de 56,4% das pessoas, sendo ainda a maior razão pela qual os brasileiros vão aos consultórios de médicos dessa especialidade.

Leia também: Ao publicar foto fofa do avô em seu Instagram, neta descobre câncer de pele

Veja os tipos de acne existentes:

  • Grau I: acnes onde só se tem a presença de comedões, os populares cravos.
  • Grau II: é quando já há a presença de pústulas, ou seja, lesões com pus.
  • Grau III: acontece quando existem nódulos, quer dizer, lesões caracterizadas pela inflamação e que se expandem por camadas mais profundas da pele, podendo levar à destruição de tecidos, causando cicatrizes.
  • Grau IV: é quando as pústulas se tornam cistos e abscessos, que são maiores e muito inflamados; vão para camadas mais profundas da pele, causando cicatrizes e muita dor, conhecida como acne severa .
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.