Tamanho do texto

Sensibilidade ao glúten em quem não tem doença celíaca é bem mais comum do que se imagina

Inchaço abdominal, cansaço e dor de cabeça são apenas alguns dos sintomas comuns em pessoas que sofrem com a doença celíaca e a síndrome do intestino irritável. Entretanto, eles também estão presentes em diversas pessoas que não sofrem com a doença. Segundo nova pesquisa, uma a cada cinco pessoas apresentam esses sintomas porque tem apenas sensibilidade ao glúten. 

Cansaço está entre os sintomas de quem tem sensibilidade ao glúten
Thinkstock/Getty Images
Cansaço está entre os sintomas de quem tem sensibilidade ao glúten


Um estudo promovido pela Sociedade Italiana de Hospitais Gastroenterológicos e publicado o periódico científico Nutrients envolveu 15 centros multidisciplinares. Os pesquisadores examinaram 140 pacientes entre 18 e 75 anos por um período de seis meses. 

Três em cada cinco pacientes que interromperam a ingestão de glúten deixaram de sofrer com sintomas e distúrbios atribuídos à síndrome do intestino irritável ou a outras alterações do funcionamento do aparelho digestivo. Além disso, um em cada cinco voltaram a ter os sintomas quando o glúten foi reintroduzido, mesmo que "escondido" em pílulas. 

Leia mais:  Dieta sem glúten pode fazer mal à saúde?

Produto sem glúten é mais saudável? Ajuda a emagrecer? Veja mitos e verdades

Milhões têm doença celíaca, mas o diagnóstico é difícil

Como diagnosticar a sensibilidade ao glúten

Pela falta de biomarcadores específicos, o diagnóstico da sensibilidade ao glúten (sem ligação com a doença celíaca) vem por exclusão. Para verificar se os sintomas relatados pelos pacientes foram efetivamente causados por causa do glúten e também excluir outras causas, os pesquisadores colocaram os pacientes em uma dieta sem glúten por três semanas e verificaram qual foi o andamento desses sintomas a médio prazo.  

O glúten está presente em inúmeros alimentos, principalmente naqueles à base de trigo, e é nocivo aos celíacos
Thinkstock/Getty Images
O glúten está presente em inúmeros alimentos, principalmente naqueles à base de trigo, e é nocivo aos celíacos


Depois desse período, para se certificarem do diagnóstico, foi realizado um estudo duplo-cego foi realizado, no qual médicos não sabem o que estão ministrando aos pacientes e os pacientes não sabem o que estão ingerindo.

Os pacientes foram divididos em dois grupos: um grupo ingeriu glúten e outro um placebo, de modo que fosse possível marcar de forma científica a diferença entre os sintomas reais e o efeito psicossomático.

Resultados

A pesquisa representa um ponto de partida para o desenvolvimento de um protocolo diagnóstico para sensibilidade ao glúten sem ligação com a doença celíaca. As informações são da Ansa.

Para os pacientes, os resultados trazem uma novidade, já que o estudo dá opção de fazer uma terapia de fácil introdução, apenas com dieta. Com isso, eles poderão parar de tomar remédios inadequados para tratar sintomas desconfortáveis. A solução para o mal estar de uma a cada cinco pessoas, portanto, pode estar no prato. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.